Fonte: OpenWeather

    Manifestação


    Funcionários abandonados no interior do AM fazem protesto em Manaus

    Empresa abandonou funcionários em Tefé após decretar falência. Dívida é de R$ 20 milhões

    Mais de mil trabalhadores contratados foram abandonados no interior do Amazonas | Foto: Ione Moreno

    Manaus - Funcionários da empresa norte-americana Geokinetics, realizaram, na manhã desta segunda-feira (16), uma manifestação em frente à sede da empresa para cobrar salários e direitos trabalhistas em atraso. A empresa  decretou falência em junho deste ano e deixou mais de mil trabalhadores contratados para prospecção de petróleo em Tefé (município distante 523 km de Manaus) sem assistência. 

    De acordo com o médico coordenador, Cleverson Redivo, a Rosneft, empresa Russa que está no Brasil responsável pela concessão da área de exploração e contratante da Geokinetics, estava com mais de mil trabalhadores contratados para prospecção de petróleo em Tefé e deixou uma dívida de R$ 20 milhões, entre salários e rescisões em atraso.
    Leia também: Amazonas é recordista em taxa de 'morte de empresas'

    Em Tefé, trabalhadores também realizaram manifestação
    Em Tefé, trabalhadores também realizaram manifestação | Foto: Divulgação

    “Na última sexta-feira (13), formalizamos denúncia no Ministério Público do Trabalho (MPT), onde estamos exigindo nossos direitos, uma vez que trabalhos de setembro até junho deste ano. O jurídico tentou um acordo que não aceitamos, pois esse acordo não garante os encargos sociais”, explicou. 

    Redivo informou que toda a diretoria da empresa desapareceu e o Recursos Humanos (RH) também foi desfeito sem deixar nenhuma explicação. “Temos mais de 800 pessoas ainda na folha de pagamento e 200 demitidas, todas esperando os salários e as indenizações em atraso, sem nenhuma resposta. Todos os trabalhadores foram retirados da região que está com mais de cinco toneladas de explosivos, um campo minado no rio Tefé”, concluiu.

    Toda a diretoria da empresa desapareceu
    Toda a diretoria da empresa desapareceu | Foto: Ione Moreno

    Uma outra realidade é a dos empregados terceirizados, o médico do trabalho Denir Fernandes disse que são mais de 300 funcionários terceirizados que estão na mesma situação. Ele conta que a falta de informação e valorização dos funcionários deixa a situação dos profissionais complicada. 

    “Desde junho não é feito o repasse para as empresas. Muitas não conseguiram pagar, uma vez que a Geokinetics não repassou o valor. Os fiscais foram avisados que as faturas não foram pagas. O grande medo dos terceiros é que, eles pagando os funcionários da empresa, como vão ficar os terceirizados? o que vai ser feito? Essa fragilização do trabalhador é muito complicada, uma vez que a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco”, declarou Fernandes.

    A empresa deixou uma dívida de R$ 20 milhões
    A empresa deixou uma dívida de R$ 20 milhões | Foto: Divulgação

    O médico coordenador informou, ainda, que uma outra manifestação está marcada para às 14h em frente à sede do MPT, localizado na rua Mário Ypiranga, bairro Flores, Zona Centro-Sul. A reportagem entrou em contato com a diretoria da Geokinects, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. 

    A exploração para serviços de perfuração de poços de petróleo no Amazonas começou na Bacia do Solimões, onde seriam perfurados seis poços. Após assumir os compromissos Geokinetics, a Rosneft firmou contrato com a Queiroz Galvão Óleo e Gás e a Schlumberger para serviços de perfuração de poços de petróleo no Amazonas.

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais: 

    Professores do AM realizam manifestação em frente à sede do Governo

    Caminhoneiros fazem nova manifestação na Ponta Negra, em Manaus

    Dívida de quase R$ 100 milhões pode levar Fucapi à falência

    Comentários