Fonte: OpenWeather

    Universidade


    Aluno arremessa mesa e agride professor na UFAM

    De acordo com os acadêmicos, a discussão teve início após o aluno sentir-se incomodado com o assunto fascismo abordado em sala de aula

    | Foto: Divulgação

    Manaus - O professor Marcondes Abreu da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), do Departamento de Letras, foi agredido e perseguido na instituição por um aluno, ainda não identificado, do curso de Língua Espanhola, na última quarta-feira (3).

    Em seu facebook, o professor Marcondes contou que levou um vídeo, onde fala de ditaduras e fascismo, mas o aluno agressor se incomodou e começou a gritar em sala, com muita raiva, ainda jogou uma mesa em cima dele e depois começou a persegui-lo na faculdade. 

    "Eu levei para turma um vídeo do Marcos Bagno. E numa parte do vídeo, ele fala sobre fascismo, as ditaduras. Falava que a língua é poder. Refleti sobre as letras de músicas. E o aluno começou a vociferar dizendo que era gay, cristão e apoiador do coiso (Bolsonaro). Ele começou a gritar em sala e eu não revidei. Jogou a mesa da minha direção e fiquei acuado por detrás da mesa. A turma fez barreira pra ele não me alcançar. Com sorte consegui escapar, mas ele foi atrás de mim no corredor. Tenho medo, muito medo.".

    Ele explicou que as aulas sempre são pautadas no respeito às opiniões contrárias, pois acredita nos princípios democráticos. "O diferente é importante, pois torna a aula rica. Mas tudo dentro do respeito", disse.

    Marcondes agradece o apoio que está recebendo e diz que não vai se intimidar. "As medidas necessárias já estão sendo tomadas. E agradeço pelas manifestações de apoio! Vai ter resistência, sim! Vou usar Michel Foucault , sim! Vou falar sobre linguagem, sim! Vou falar de Marcos Bagno, sim!"

    Conforme testemunhas a agressão, começou após o jovem se revoltar com a aula ministrada sobre política e fascismo

    Acadêmicos compartilharam a informação da violência sofrida pelo professor nas redes sociais. 

    Veja:

    | Foto: Reprodução Facebook

    Acadêmicos do curso de Programa de Pós-Graduação em Letras da Ufam (PPL-AM), se manifestaram por meio de um documento de repúdio publicado nas redes sociais, no qual afirmam  que o "professor foi agredido por um aluno, em atitude fascista, na qual evidenciaram-se o ódio, a falta de respeito e a tentativa de silenciamento do professor, que em sala de aula, cumpria seu papel de discutir as questões que permeiam o discurso".

    Confira o documento de repúdio na íntegra:

    | Foto: Reprodução Facebook

    Os  alunos cobram a instituição para que o caso não fique impune. Eles cobram que à direção da Faculdade de Letras e à Reitoria da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) tomem as devidas providências cabíveis sobre o caso.

    UFAM

    A Ufam informou que houve registro do caso na Ouvidoria da Instituição, setor onde são iniciados os trâmites de apuração de denúncias nesse cerne.

    Com a oficialização da ocorrência, a administração da Faculdade de Letras (Flet), onde o caso se deu, passará a averiguar fatos, ouvindo as partes e testemunhas, seguindo os procedimentos administrativos de forma a garantir quais providências são cabíveis.

    A Ufam ainda reiterou o repúdio a toda e qualquer forma de violência contra a integridade humana. 

    A reportagem não conseguiu contato com aluno acusado da agressão, mas o espaço está aberto para esclarecimentos.

    Leia mais

    Inscrições para cursos do Cetam encerram nesta quinta-feira (13)

    Prefeitura de Manaus abre inscrição para cursos gratuitos



    Comentários