Fonte: OpenWeather

    Enchente


    Cheia do Rio Purus deixa Boca do Acre em estado de alerta

    A cheia já atinge quase 10 mil pessoas que moram às margens dos rios de Boca do Acre. Dos 61 municípios do interior do Amazonas, 24 já enfrentam problema com a cheia

    No último final da semana passada foi emitido sinal de alerta
    No último final da semana passada foi emitido sinal de alerta | Foto: Divulgação

    Manaus - O nível do Rio Purus no município de Boca do Acre (distante 1.028 quilômetros de Manaus) apresentou, na manhã desta quarta-feira (13), a mediação 19,04 metros. Algumas áreas da cidade já foram alagadas pelas águas dos rios Acre e Purus.

    Todos os anos o município é atingido nesse período pelo avanço das águas. A cheia já atinge quase 10 mil pessoas que moram às margens dos rios, na zona rural, e parte da área urbana do município.

    Durante essa semana, o poder público municipal decretou estado de alerta contra deslizamentos e enchente
    Durante essa semana, o poder público municipal decretou estado de alerta contra deslizamentos e enchente | Foto: Divulgação


    Ainda no perímetro urbano da cidade, a primeira região a ser atingida pela cheia é o bairro Praia do Gado, considerado o mais populoso de Boca do Acre. Moradores que residem naquela área estão preocupados com o aumento do nível das águas neste período. 

    Durante essa semana, o poder público municipal decretou estado de alerta contra deslizamentos e enchente. Tanto entidades da administração pública, quanto entidades responsáveis pelas ações de competência da Defesa Civil já se organizam e elaboram estratégias para prestar atendimento à população no caso de situações emergenciais. 

    O nível já passou essas duas metragens e avança para alcançar o próximo nível que é o de transbordamento
    O nível já passou essas duas metragens e avança para alcançar o próximo nível que é o de transbordamento | Foto: Divulgação


    A cota de atenção do rio Purus para o município, segundo a Defesa Civil, é de 16,50 metros. Já a conta de alerta é de 18,00 metros. O nível já passou essas duas metragens e avança para alcançar o próximo nível que é o de transbordamento - que tem como meta 20,00 metros.

    Impactos

    Dos 61 municípios do interior do Amazonas, 24 já enfrentam problema com a cheia dos rios este ano. Os primeiros prejuízos no setor primário do Amazonas começam a ser sentidos na produção de frutas, hortaliças e malvas.

    No último final da semana passada foi emitido sinal de alerta para os municípios de Canutama, Lábrea, Tapauá e Beruri (Calha do Purus) e Guajará, Eirunepé, Ipixuna e Itamaraty (Calha do Juruá).

    O sinal de atenção foi emitido para os municípios de Tabatinga, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença e Atalaia do Norte (Calha do Alto Solimões), Humaitá, Novo Aripuanã, Manicoré e Borba (Calha do Madeira), Coari, Fonte Boa, Tefé e Jutaí (Calha do Médio Solimões) e Parintins, Barreirinha, Urucará e Boa Vista do Ramos (Calha do Baixo Amazonas).

    *Colaborou voluntariamente Romário Vieira

    Leia mais

    Enchente atinge produção de frutas e hortaliças em municípios do AM

    Pesquisa aponta que dinâmica dos rios determina mamíferos na Amazônia

    Comentários