Fonte: OpenWeather

    Impasse


    Vídeo: brasileira recém-operada na Venezuela não consegue voltar ao AM

    O fechamento da fronteira com o Brasil deixou diversos brasileiros presos na Venezuela, sem a possibilidade de retornar para casa

    F.R. precisou fazer uma cirurgia de emergência na vesícula e agora está precisando de medicamentos | Foto: F.R. precisou fazer uma cirurgia de emergência na vesícula e agora está precisando de medicamentos

    Manaus - O presidente venezuelano Nicolás Maduro ordenou, na noite dessa quinta-feira (21), o fechamento da fronteira com o Brasil, deixando diversos brasileiros presos na Venezuela, sem a possibilidade de retornar para seu país de origem. A brasileira e micro-empresária F. R., de 44 anos, denuncia a situação calamitosa pela qual está passando, mas diz que prefere ter seu nome e localização atual ocultados por medo de represálias do governo Maduro.

    Ela chegou à Venezuela com um grupo de amigas na segunda semana de fevereiro e lá foi submetida a uma cirurgia emergencial de vesícula. Ela e o grupo estão hospedados em uma casa alugada e contam com a ajuda da hospitalidade do povo venezuelano, pois os remédios e a comida estão prestes a acabar.

    Grupo de quatro amigas viajou para Venezuela e planejava retornar nesta sexta-feira (22)
    Grupo de quatro amigas viajou para Venezuela e planejava retornar nesta sexta-feira (22) | Foto: Arquivo pessoal

    Ela estima que mais de 30 brasileiros estão ilhados na cidade em que ela está, e que muitos resolveram arriscar vidas indo de carro até a cidade de Santa Elena de Uairén, que faz fronteira com o Estado de Roraima, mas estão sendo parados nas barreiras.

    "As estradas estão congestionadas, deixamos o nosso carro em Santa Elena e pegamos um táxi para voltarmos para cá, não sabemos como podemos recuperá-lo". Ela já tentou entrar em contato com o consulado brasileiro na Venezuela, mas o órgão está fechado e só irá abrir na próxima segunda-feira (25).

    A micro-empresária é natural de Pernambuco e vive em Manaus há mais de vinte anos, onde é casada e mãe de um filho. Ela conta que está preocupada, principalmente, com o marido, que já possui idade avançada. "Até o momento ainda não recebemos nenhuma resposta do governo brasileiro, mas eu peço a Deus que essa situação seja resolvida logo e eu possa voltar para o meu país".

    Brasileira faz apelo para o governo brasileiro | Autor: Arquivo pessoal

    A situação na Venezuela

    A crise política na Venezuela aumentou quando o político de oposição, Juan Guaidó, se auto-proclamou presidente do país, alegando diversas irregularidades na reeleição de Maduro.

    A posição de Guaidó como presidente interino foi reconhecida por diversos países, como Estados Unidos e Brasil e outros cinquenta nações, incluindo Argentina, Chile, Colômbia e Peru. Já a legitimidade de Maduro no poder é reconhecida pela Rússia, Bolívia, Uruguai e outros.

    Diversos países questionam a legitimidade da reeleição do presidente Nicolás Maduro
    Diversos países questionam a legitimidade da reeleição do presidente Nicolás Maduro | Foto: Divulgação

    Guaidó solicitou ajuda humanitária da Organização das Nações Unidas para combater o desabastecimento de comida e remédios que afeta o país, mas a ONU negou o pedido por considerar que o pedido deve partir de Nicolás Maduro.

    O governo brasileiro anunciou que a ajuda humanitária à Venezuela deve chegar neste sábado (23), mas, ainda assim, F. R. teme que essa interferência possa acabar aumentando os conflitos.

    Ao todo, 13 mil brasileiros estão na Venezuela. 

    Edição: Isac Sharlon

    Leia Mais:

    Maduro fecha fronteira venezuelana com o Brasil

    Caravana que prepara ajuda humanitária é atacada na Venezuela

    Exército da Venezuela está em alerta na fronteira

    Comentários