Fonte: OpenWeather

    Exposição


    Mulheres são o foco de exposição no Palácio da Justiça

    Para marcar a data, as mulheres serão homenageadas por meio da exposição fotográfica “Loquaz”, que reúne os trabalhos de 25 fotógrafas da região Norte no Palácio da Justiça

    Ione Moreno participa da mostra com duas imagens | Foto: Divulgação

    Manaus - O dia 8 de março, na década de 1970, foi oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional da Mulher. A data celebra as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos.

    Para marcar a data, as mulheres serão homenageadas por meio da exposição fotográfica “Loquaz”, que reúne os trabalhos de 25 fotógrafas da região Norte no Palácio da Justiça (avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro). A abertura será hoje, às 16h, e depois a mostra estará aberta para visitação das 15h às 19h. O curador é o fotógrafo Michell Mello.

    Todas as fotógrafas são integrantes do Núcleo de Fotografia e Vídeo do Amazonas (NFVA). A mostra é composta por registros inéditos que refletem a eloquência da força da mulher contemporânea – que vem conquistando o seu espaço, impondo uma nova ética entre os gêneros e ocupando novas carreiras, territórios, sem diminuir sua sensibilidade.

    O nome “Loquaz” sugerido pelas imagens retrata a beleza, a luta, leveza e a pluralidade de mulheres que, mesmo diante das adversidades, seguem a vida com sabedoria. A exposição busca sensibilizar e estimular reflexões nos visitantes.

    As fotógrafas participantes são Adriana de Lima, Anne Lucy, Caroline Lins, Caroline Moraes, Chris Gouvea, Cláudia Higuchi, Dani Cruz, Dhyenefer Rodrigues, Eliude Santana, Ellen Gatto, Fê Ribeiro, Gisele Gomes, Graça Gil, Ione Moreno, Iza Santos, Kamila Aparício, Larissa Pedroso, Lilian Pires, Maria Yole, Mariana Rebouças, Paula Moraes, Ruth Jucá, Sandy Takahashi, Sara Rangel, Selma Maia e Simone Brandão.

    Ione Moreno participa da mostra com duas imagens. “Uma das fotografias é um registro que fiz da minha avó materna Albina Cardo, de 89 anos, costureira, católica, uma mulher que passou toda sua vida trabalhando para ajudar a família”, comenta Ione. “Quando fui visitá-la no Goiás fiz esse registro em um dos seus momentos de oração, em 2014”.

    A segunda foto da profissional também foi produzida há cinco anos. “É de uma senhora que trabalhava no lixão de Iranduba para sustentar a família. Passei uma manhã toda acompanhando sua rotina cansativa e totalmente insalubre para um ser humano. É uma das fotografias que marcou a minha trajetória profissional registrando vidas e histórias de personagens femininas”.

    Leia mais:

    Balé do Abrigo Moacyr Alves apresenta 'Quebra-Nozes', em Manaus

    Confira o vídeo: Projeto solidário ajuda a manter abrigo em Manaus

    Crianças têm telas pintadas em exposição no Abrigo Moacyr Alves

    Comentários