Fonte: OpenWeather

    Transplante


    Transplantes de rins no AM começam no segundo semestre, afirma Susam

    O Amazonas chegou realizar transplante de rim, no entanto, o serviço foi interrompido em 2017

    Secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias | Foto: Marcely Gomes

    Manaus - Na manhã desta segunda-feira (6), o Governo do Amazonas e o Ministério da Saúde (MS) assinaram o Termo de Adesão para Implantação do Programa de Transplante de Rim no Estado do Estado.

    De acordo com o Secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias, os primeiros transplantes renais estão previstos para fim se agosto e início de setembro deste ano.

    O evento foi realizado no Hospital Delphina Aziz, bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus, e contou com a presença de profissionais da saúde e autoridades do Estado.

    "A assinatura do Termo de adesão é o primeiro passo para o início das ações que envolvem a capacitação dos profissionais da saúde" disse o secretário. Ele acrescentou que a etapa de capacitação será realizada em parceria com o Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

    A realização de transplante de rim no Delphina Aziz compõe o conjunto de medidas adotadas pelo Estado para sanar a situação encontrada pela atual gestão, na área da saúde, e colocar 100% daquela unidade em funcionamento. O projeto começou a ser executado com a oferta de cirurgias gerais eletivas (hérnia e vesícula), no mês de abril e gradativamente irá alcançar outras especialidades. 

    A assinatura do termo aconteceu nesta segunda-feira (6)
    A assinatura do termo aconteceu nesta segunda-feira (6) | Foto: Marcely Gomes

    "Com esta iniciativa, vamos ampliar o sistema de transplante de fígado, cóclea e de olhos no Hospital Delphina, por meio campanhas de doação de órgãos", concluiu o secretário.

    A coordenadora geral do sistema nacional de transplantes, Daniela Salomão, afirmou que a parceria entre o Ministério da Saúde e o Governo do Amazonas vai viabilizar financeiramente os transplantes e as campanhas de doação.

    "Temos como objetivo que os transplantes sejam feitos com eficiência que as pessoas que fazem tratamentos em outros estados, concluam os tratamentos no Amazonas e sejam acompanhadas em sua residência'.

    O Amazonas chegou a realizar transplante de rim, no entanto, o serviço foi interrompido em 2017. Até aquele ano, foram realizados 400 transplantes. Hoje, é feito apenas o transplante de córnea na rede estadual. Os demais tipos são realizados via programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

    Secretário de saúde assinando o termo
    Secretário de saúde assinando o termo | Foto: Marcely Gomes

    Segundo a coordenadora da Central de Transplantes do Amazonas, Leny Passos, estima-se que, por ano, 260 pessoas no Estado vão precisar de um transplante de rim.  “Estima-se que 12% a 20% da fila de pacientes em diálise têm indicação de fazer um transplante renal. Considerando que temos em torno de 1.300 pacientes em diálise, estima-se que 260 pacientes renais crônicos, por ano, necessitam de transplante renal”, explica Leny.

    A coordenadora ressalta que, com os transplantes, a demanda sobre o serviço de hemodiálise será menor. “À medida que os transplantes são realizados, há um equilíbrio entre a saída de paciente da diálise e a entrada de novos pacientes, diminuindo assim a necessidade de máquinas de hemodiálise e pacientes em fila”, afirma a médica.

    Veja reportagem da TV Em Tempo:

    Veja reportagem | Autor: Mei Shapiama/TV Em Tempo

    Leia mais: 

    Estado já registra mais de 11 mil casos de malária em 2019

    Amazonas já vacinou mais de 975 mil pessoas contra a gripe H1N1

    Postos de saúde abertos neste sábado para vacinação contra gripe

    Comentários