Fonte: OpenWeather

    Pitiú


    Cheiro de peixe nas mãos? Saiba como se livrar do pitiú

    Amazonenses compartilham suas técnicas de como retirar o odor desagradável do peixe, frango e ovo

    Limão é a técnica mais utilizada por amazonenses para se livrar do cheiro desagradável encontrado no frango e peixe | Foto: Lucyleny Rocha

    Manaus – Aquele cheiro forte encontrado, principalmente, nos peixes da região norte do país divide opiniões. Afinal, o “pitiú” existe ou não? O que se sabe é que desde crianças, os nortistas atribuíram a essa palavra o significado do odor desagradável.  E para ajudar, amazonenses compartilham suas técnicas de como se livrar do cheiro característico encontrado no peixe, frango e ovo.

    A dona de casa, Edinoia Parintins, de 43 anos conta que sempre utilizou o limão para retirar o odor. “Desde criança a minha mãe e avó já falavam que para tirar o cheiro do “pitiú” eu devia lavar o frango e peixe com bastante limão. Até nos bolos eu não podia esquecer de pingar algumas gotinhas de limão na massa para não ficar o “pitiú””, comenta.

    Já o estudante de gastronomia, Cássio Nascimento, conta que a técnica infalível para se livrar do cheiro é seguir um passo a passo. “ A primeira coisa a ser feita, no caso do frango, é ferver a água e jogar em cima dele, depois jogar vinagre e deixar por uns 10 minutos. Por último você faz uma mistura do suco da laranja, do limão e adiciona um pouco de sal e deixa de molho no frango. Depois, é só preparar o prato que não vai ficar nenhum vestígio de cheiro”, afirma.

    De onde vem o termo? 

    Não se sabe ao certo como surgiu o termo “pitiú”. Algumas teorias afirmam que, durante o ciclo da borracha, um fazendeiro chamado Armando Queiroz desenvolveu uma máquina para medir o forte cheiro dos peixes da região norte. Ele e seu sobrinho iam pescar no Rio Negro e levavam a máquina junto para saber quão forte era o odor. Armando pescava e seu sobrinho com a máquina dizia para seu tio quanto tinha dado o cheiro do peixe.

    O inusitado era que todos os peixes davam a mesma quantia: 3,14 (na matemática, 3,14 é o valor atribuído a pi). O sobrinho então fez um trocadilho e respondia ao tio da seguinte maneira: “Deu pi, tio”.

    Com o passar dos anos, o termo “pitiú” ficou fixado no vocabulário dos amazonenses e até hoje incomoda por seu cheiro forte. Do limão ao vinagre, as técnicas para se livrar do cheiro desagradável são muitos. 

    Festival do Pitiú

    No dia 26 de maio será realizada a primeira edição do “Festival do Pitiú”, evento promovido pela Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Embora o nome do festival exalte o pitiú, os organizadores do evento explicam que o objetivo do encontro é reunir os amantes dos peixes regionais como jaraqui, mas sem o cheiro do “pitiú”.

    “Escolhemos o nome por ser uma coisa do vocabulário regional. Foi uma brincadeira nossa de escolher esse nome, mas todos os peixes que nós vendermos não vão vir com o pitiú”, brinca uma das divulgadoras do evento, Karina Costa. 

    Com pratos vendidos a R$10, o Festival do Pitiú terá jaraqui frito acompanhado de arroz de dois, vinagrete, farinha, limão e pimenta. Além do sorteio de diversos brindes, o evento terá a premiação da Garota e Garoto “Pitiú”. Com início marcado para às 11h, o evento acontecerá na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada na Avenida Camapuã, bairro cidade nova (em frente ao terminal 4).

    Leia Mais

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Por semestre, mais de mil toneladas de peixe passa pelo Centro

    Vídeo: confira os preços dos produtos no Feirão do Pescado em Manaus



    Comentários