Fonte: OpenWeather

    Educação


    Reajuste dos professores é aprovado após negociação com o Governo

    O Projeto de Lei que trata do reajuste salarial dos servidores, entrou em pauta de votação na manhã desta quinta-feira (23) e foi aprovado por todos os 20 deputados presentes

    Mais de 120 professores estiveram presentes na Galeria do Plenário para acompanhar a pauta de votação
    Mais de 120 professores estiveram presentes na Galeria do Plenário para acompanhar a pauta de votação | Foto: Divulgação

    Manaus - Após 39 dias de greve, os trabalhadores da educação e o Governo do Estado entraram em um acordo em relação às melhorias reivindicadas pela classe. O Projeto de Lei (PL) nº 293/2019, que trata do reajuste salarial dos servidores, entrou em pauta de votação desta manhã de quinta-feira (23) foi aprovado por todos os 20 deputados presentes na votação.

    Diferente da mensagem anterior enviada pelo Governo do Estado, a matéria aprovada hoje teve emendas parlamentares e contempla outros benefícios além do reajuste de 4,73% sobre o vencimento, como o aumento do auxílio localidade de R$ 30 para R$ 80 (para professores que atuam na sede dos municípios) e R$ 120 (para professores que atuam nas comunidades dos municípios).

    Outra mudança foi o acréscimo de R$ 30 sobre o valor do vale alimentação, passando de R$ 420 para R$ 450 e a redução do tempo de progressão funcional de 4 para 3 anos, com aumento percentual financeiro de 2% para 5%, além do compromisso do Governo em cumprir a progressão horizontal aos servidores.

    O presidente da Assembleia Legislativa Josué Neto (PSD) parabenizou os trabalhadores. “Nas duas últimas semanas o diálogo foi algo marcante para que chegássemos até aqui. Em algum momento aconteceu um impasse muito grande entre os negociantes e nós retomamos a mesa de discussão e quero agradecer aqui a todos os deputados, mesmo os que não participaram diretamente, porque sugeriram alguma coisa e contribuíram de alguma forma. Então todos aqui são responsáveis pelas conquistas com os professores”, afirmou.

    Os representantes da Associação dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom) e do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Educação do Amazonas (Sinteam) falaram aos deputados, garantindo que mesmo com o acordo benéfico, os professores devem continuar a pleitear outros pontos de reivindicações.

    Lambert Melo, representante da Asprom Sindical e Ana Cristina Rodrigues, representante do Sinteam, comemoraram os avanços, a suspensão da ilegalidade da greve e anunciaram a realização de uma Assembleia Geral na sexta-feira (24), às 15h, na Escola Aldeia do Conhecimento Ruth Prestes para decidir sobre o encerramento ou continuidade da greve.

    Repercussões no Plenário

    Mais de 120 professores estiveram presentes na Galeria do Plenário para acompanhar a pauta de votação e a discussão da matéria com os deputados Wilker Barreto (PHS), Alessandra Campêlo (MDB), Cabo Maciel (PR), Sinésio Campos (PT) e Therezinha Ruiz (PSDB), que comentaram a situação.

    Alessandra Campêlo elogiou a postura do presidente da Assembleia, deputado Josué Neto na negociação com os professores, deixando matérias de lado para priorizar a pauta da educação. Além disso, ela também lembrou que as queixas dos professores vão além da questão salarial e passam por falta de segurança em decorrência da falta de vigilância armada nas escolas, da mesma forma que o deputado Cabo Maciel (PR) que também citou a insegurança sofrida pelos professores.

    Sinésio Campos (PT) atribuiu o protagonismo da conquista das melhorias salariais aos próprios professores que mantiveram o movimento até o desfecho e a relatora do projeto e presidente da Comissão de Educação da Assembleia, deputada Therezinha Ruiz (PSDB), destacou a redução do tempo de progressão como maior ganho da categoria. Wilker Barreto falou que a maior lição deixada pela greve foi para que o Governo do Estado mude sua postura de dialogar com os servidores. 

    *Com informações da assessoria

    Veja reportagem da TV Em Tempo:

    Veja reportagem | Autor: Gabriela Moreno/TV Em Tempo
     

    Leia Mais 

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Paralisação de Rodoviários em Manaus é suspensa

    Professores voltam a protestar por reajuste salarial, em Manaus

    Comentários