Fonte: OpenWeather

    Prefeito de Manaus


    Após mortes, Arthur Neto comenta descontrole nas prisões do AM

    Arthur fez duras críticas ao sistema penitenciário do Amazonas e disse que é contra a posse e porte de arma. Ele ainda chamou o governador do Rio de Janeiro de maluco por decisões polêmicas

    Arthur Neto disse ainda que a tragédia no Compaj interfere no turismo de Manaus
    Arthur Neto disse ainda que a tragédia no Compaj interfere no turismo de Manaus | Foto: Marcely Gomes

    Manaus - Nesta segunda-feira (27), o prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), ao ser questionado sobre a crise penitenciária no Amazonas, afirmou que a Segurança Pública do Amazonas está descontrolada.

    “Os presídios do Brasil são dominados pelo tráfico. Os traficantes mandam e desmandam nos complexos prisionais” afirmou o prefeito em coletiva de imprensa durante a entrega oficial do novo gerador de biogás ao Aterro Sanitário de Manaus, situado no quilômetro 19 da rodovia estadual AM-010. 

    Prefeito de Manaus, durante a entrega oficial do novo gerador de biogás ao Aterro Sanitário de Manaus, situado no quilômetro 19 da AM-010
    Prefeito de Manaus, durante a entrega oficial do novo gerador de biogás ao Aterro Sanitário de Manaus, situado no quilômetro 19 da AM-010 | Foto: Marcely Gomes

    Ao ser questionado sobre a rebelião que ocorreu neste domingo (26) no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que resultou na morte de 15 detentos, o prefeito criticou a organização dos internos no sistema prisional do Estado.

    "Ao esvaziarem o pavilhão de mulheres e colocarem lá os presos de uma determinada facção criminosa, que ficaram separados de outra por apenas um muro, quase pediram para que eles entrassem em conflito”, afirmou Arthur. A informação sobre a motivação do conflito foi noticiada pelo Em Tempo com exclusividade.

    O prefeito de Manaus se posicionou a favor de políticas públicas mais severas em relação ao combate à criminalidade no Amazonas
    O prefeito de Manaus se posicionou a favor de políticas públicas mais severas em relação ao combate à criminalidade no Amazonas | Foto: Marcely Gomes

    Durante a coletiva de imprensa, o prefeito fez críticas à contratação da Umanizzare, empresa responsável pela gestão dos presídios do Amazonas. “Aquele pessoal da Umanizzare tinha que estar preso. Tinham que ser expulsos daqui. Eles são as raízes de vários problemas que enfrentamos. Não fazem um bom trabalho porque estão ali somente para ganhar dinheiro”, frisou o prefeito de Manaus. 

    Prefeito de Manaus, durante a entrega oficial do novo gerador de biogás ao Aterro Sanitário de Manaus, situado no quilômetro 19 da AM-010
    Prefeito de Manaus, durante a entrega oficial do novo gerador de biogás ao Aterro Sanitário de Manaus, situado no quilômetro 19 da AM-010 | Foto: Marcely Gomes

    Arthur Neto disse ainda que a tragédia no Compaj interfere no turismo de Manaus. “Isso acaba com o turismo. Tivemos um domingo repetindo as cenas horríveis de 1º de janeiro de 2017. Aquilo foi um dano para Manaus, depois da Copa do Mundo de 2014 onde a FIFA reconheceu a gente como a cidade mais ordeira", disse o prefeito.

    O prefeito de Manaus se posicionou a favor de políticas públicas mais severas em relação ao combate à criminalidade no Amazonas.

    “É dever de quem governa, de quem tem poder de polícia, entrar em acordo com o Governo Federal e trabalhar com inteligência, armas eficazes e investir na Educação”, disse Arthur Neto mencionando que o ministro Sérgio Moro vai investir no armamento das polícias do País.

    Durante a coletiva de imprensa, o prefeito teceu críticas à contratação da Umanizzare , empresa responsável pela gestão dos presídios do Amazonas.
    Durante a coletiva de imprensa, o prefeito teceu críticas à contratação da Umanizzare , empresa responsável pela gestão dos presídios do Amazonas. | Foto: Marcely Gomes

    O prefeito de Manaus se posicionou a favor de políticas públicas mais severas em relação ao combate à criminalidade no Amazonas
    O prefeito de Manaus se posicionou a favor de políticas públicas mais severas em relação ao combate à criminalidade no Amazonas | Foto: Marcely Gomes

    Não ao porte de arma

    Na ocasião, Arthur Neto criticou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e se posicionou contra o porte e a posse de armas.

    "Não sou capaz de fazer e nem sugerir nada parecido com o que aquele governador 'amalucado' do Rio de Janeiro faz, e sair dando tiro de helicóptero. Pois sou contra as armas por várias razões”, concluiu o prefeito.

    Posicionamento

    A equipe de reportagem entrou em contato com a Umanizzare para solicitar uma posição a respeito da fala do prefeito Arthur Neto. Assim que a nota for enviada, a matéria será atualizada.

    Edição: Bruna Souza

    Leia Mais:

    Compaj: IML libera apenas um corpo dos detentos mortos no massacre

    Grupo protesta na CMM contra situação precária dos coletivos de Manaus

    Comentários