Fonte: OpenWeather

    Reajuste na Susam


    Aprovado reajuste de 5% para servidores da Susam

    Assembleia Legislativa do Amazonas aprovou nesta quarta-feira (12), reposição salarial aos servidores públicos estaduais da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), incluindo médicos, em 5%.

    Reajuste para servidores da Susam foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Amazonas
    Reajuste para servidores da Susam foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Amazonas | Foto: Aleam

    Manaus - Por unanimidade de votos na Casa, a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou na manhã desta quarta-feira (12), em segundo turno, o Projeto de Lei (PL) n° 368/2019, oriundo da Mensagem Governamental n° 77/2019, que concede reposição salarial aos servidores públicos estaduais da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), incluindo médicos, em 5%. Além disso, a proposta aumenta o valor do ticket alimentação, que passa de R$420 para R$ 450.

    O reajuste será retroativo a 1º de maio. No mesmo texto, foi contemplada a data-base de 2020 (6,5%) e 2021 (7,5%). Na tribuna, a presidente da Comissão da Saúde e Previdência, deputada Mayara Pinheiro (PP), explicou que o reajuste é um direito da categoria. “Esse percentual foi construído junto aos sindicatos que tratam da saúde em nosso estado.  Sem dúvida, uma conquista e um passo importante para mudarmos a saúde do Amazonas”, disse.

    A vice-presidente da Aleam, deputada Alessandra Campêlo (MDB), que conduziu a votação, comemorou a aprovação da proposta e frisou o compromisso da Casa com a saúde. Na avaliação de Alessandra, o Governo teve a capacidade política de dialogar com os servidores da saúde, inclusive os médicos, para negociar e chegar a um consenso no qual todas as partes foram beneficiadas. Com isso, a população não enfrentará greve no setor.

    “Os deputados da Assembleia Legislativa e o Governo do Amazonas, que democraticamente representam o povo do Amazonas, mais uma vez cumpriram seu papel de trabalhar a favor da oferta de melhores serviços públicos para a população. A saúde é pauta prioritária do nosso mandato”, afirmou.

    Membro da Comissão de Saúde e Previdência, o deputado Dr. Gomes (PRP), destacou que o pagamento com os valores reajustados será em folha suplementar retroativo ao mês de maio, período da data-base dos servidores da Secretaria Estadual de Saúde (Susam).

    “Uma folha referente a junho, que não pode mais mudar, já está na Prodam. Outra folha suplementar retroativa a maio corre em trâmite paralelo. Como médico e membro da Comissão de Saúde, fico muito feliz em participar de mais essa conquista para a população amazonense, que segue avançando na área da Saúde. Meu mandato é para servir”, afirmou.

    Com o reajuste de 5% e o aumento no auxílio-alimentação, o impacto na folha de pagamento da Susam será de R$ 4 milhões por mês e 51 milhões por ano, se considerado o 13º salário. O deputado Belarmino Lins (PP) elogiou a iniciativa do Executivo.

    “Estão de parabéns o governador Wilson Lima, bem como o seu vice, Carlos Almeida, ex-titular da Susam, e também o atual secretário de Saúde, Rodrigo Tobias, competentes na condução de todo o processo que resultou no acordo que está sendo honrado em todos os sentidos”, disse o parlamentar progressista.

    A votação do projeto ocorreu após reunião do Governo do Estado e dirigentes sindicais da categoria no dia 23 de maio, onde foram definidos os valores percentuais de reajuste, e deve beneficiar 21 mil seguidores. Após tramitação nas comissões competentes, foi aprovado em dois turnos com o voto dos 23 deputados presentes.

    Dentre as entidades que participaram da negociação estava o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Amazonas (Sindsaúde), Sindicado dos Médicos do Estado do Amazonas (Simeam),  Sindicato dos Enfermeiros Servidores Públicos no Estado do Amazonas (Sinproenf), Sindicato dos Agentes de Endemias (Sindagente), Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Amazonas (Sinfar), Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Amazonas (Saseam), Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado do Amazonas (Sinfito) e Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (Sintesam).

    Comentários