Fonte: OpenWeather

    Denúncias em escola


    Seduc se pronuncia acerca de denúncias de alunos em CEJA

    As denúncias ocorreram na tarde de ontem (3) ao Portal EM TEMPO, com a Secretária de Estado de Educação e Qualidade do Ensino no Amazonas (Seduc-AM) se pronunciando na tarde desta quinta (4).

    Um aluno noticiou ao EM TEMPO inúmeras irregularidades na unidade, com a Seduc investigando o caso
    Um aluno noticiou ao EM TEMPO inúmeras irregularidades na unidade, com a Seduc investigando o caso | Foto: Reprodução

    Manaus - A Secretária de Estado de Educação e Qualidade do Ensino no Amazonas (Seduc-AM), emitiu nota prestando esclarecimentos acerca da matéria publicada no EM TEMPO na tarde do último dia 3, que noticiou as denúncias feitas por um aluno sobre Centro Educacional de Jovens e Adultos (CEJA) Jacira Caboclo, localizado na avenida Constantino Nery.

    De acordo com o aluno, os professores não estariam cumprindo o calendário estabelecido para a reposição de aulas após a greve geral, prejudicando os alunos. Além disso, a denúncia também afirma que os professores estariam vendendo conteúdo obrigatório, prejudicando os alunos que não possuem condições de adquirir o material.

    As denúncias

    De acordo com o aluno, além do prejuízo com o conteúdo que não é repassado, também existe o prejuízo monetário. ''Ficamos três tempos sem aula, pedimos para adiantarem o nosso tempo para sermos liberados mais cedo e eles dizem que não pode ser feito isso. Sendo que apenas estamos indo gastar passagem e tempo valioso'', disse um dos alunos ao Em Tempo.

    ''Temos professores que vendem apostilas para fazermos o exercício e quando o aluno não tem o dinheiro para adquirir, ele fica sem fazer o exercício. O dever do professor é passar o conteúdo aos alunos, de forma gratuita, sempre. Com isso, muitos alunos estão sendo prejudicados'', desabafou o estudante.

    Explicações

    Seduc se pronunciou acerca das denúncias ocorridas no Ceja Jacira Caboclo
    Seduc se pronunciou acerca das denúncias ocorridas no Ceja Jacira Caboclo | Foto: Reprodução

    De acordo com a Secretária de Estado de Educação e Qualidade do Ensino no Amazonas (Seduc-AM), a reposição de aulas está sendo realizada de acordo com o Calendário Oficial de Reposição regularmente aprovado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE/AM), com o estrito cumprimento das datas de reposição visando suprir os conteúdos não ministrados no período mencionado no Calendário do Ano Letivo.

    Sobre a possível falta de professores na unidade, a Seduc afirmou que os professores que se ausentarem das aulas de reposição estipuladas no calendário serão considerados faltosos, caso não haja justificativa médica ou documentos afins, e serão submetidos às disposições contidas no Estatuto do Servidor Público e Estatuto do Magistério.

    O Ceja

    Acerca das denúncias na unidade do CEJA Jacira Caboclo, a secretária afirmou que uma equipe da Coordenadoria Distrital 01 já está averiguando naquela unidade educacional a denúncia, e, caso seja comprovada, a Secretaria Adjunta da Capital tomará as providências julgadas necessárias;

    Sobre os professores que estariam vendendo conteúdo para os alunos, privando os que não podem adquirir, a secretaria esclareceu ainda que, é proibida a comercialização de material didático ou pedagógico em todas as escolas da rede estadual de ensino cujo atendimento é feito pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD-FNDE), e o qual preconiza que se caso seja detectado qualquer tipo de venda, será imediatamente instaurada comissão de sindicância para apuração, deliberação superior e aplicação das penalidades cabíveis.

    Leia Mais

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Alunos dizem que professores faltam aulas e vendem conteúdo no CEJA

    Mãe afirma que filhas estão sendo prejudicadas em calendário escolar


    Comentários