Fonte: OpenWeather

    Operação Arquimedes


    Vídeo: Nova fase da operação Arquimedes mira ex-deputado do Amazonas

    A operação investiga a corrupção entre servidores de um órgão ambiental estadual, engenheiros florestais, detentores de planos de manejo e proprietários de empresas madeireiras

    Estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão | Foto: Divulgação

    Manaus - A Polícia Federal do Amazonas, com apoio do Ministério Público Federal (MPF-AM), deflagrou, na manhã desta quarta-feira (10), o desdobramento da "Operação Arquimedes". A ação tem objetivo de desarticular um esquema de corrupção responsável por extração ilegal de madeira na floresta amazônica. Um dos alvos é um ex-deputado estadual do Amazonas.

    Estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão. Agentes da PF estiveram, no início da manhã, em um condomínio na Zona Oeste da cidade, e no município de Manacapuru (a 80 km de Manaus).

    Um dos alvos é uma cooperativa de piscicultores, agricultores, produtores rurais e extrativistas, que fica localizada na região metropolitana da capital amazonense.

    Outro alvo, é a residência de um ex-deputado estadual. Segundo as investigações da PF, na investigação ele é apontado como um dos responsáveis pela cooperativa.

    Quando exercia o cargo, ele teria atuado em favor de possíveis irregularidades cometidas pela empresa que movimentaria um esquema de pagamento de propina a servidores do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). Eles trabalhavam para a obtenção de vistoria fraudulentas.

    Arquimedes

    A operação, que começou a partir de alerta feito pela Receita Federal e Ibama, em 2017, ao verificar aumento incomum do trânsito de madeira pelo Porto Chibatão, em Manaus, investiga a corrupção entre servidores de órgão ambiental estadual, engenheiros ambientais, detentores de planos de manejo e proprietários de empresas madeireiras.

    A segunda fase da operação foi realizada em abril deste ano. Na ocasião, um ex-superintendente do Ibama, José Leland Juvêncio Barroso, foi preso durante a ação. Ao todo, foram 26 pessoas presas e 109 mandados de busca e apreensão em oito estados e no Distrito Federal.

    Os suspeitos presos na primeira fase pagavam aos servidores do Ibama e Ipaam para explorarem o produto sem fiscalização, por não possuir o Documento de Origem Florestal (DOF), que autoriza a exploração legal. A PF pediu o bloqueio de R$50 milhões nos CNPJ´s das empresas investigadas e outras 18 medidas cautelares.

    A PF atua em duas principais frentes de investigação criminal por meio de dois inquéritos policiais: a primeira, sobre a extração, exploração e comércio ilegais de madeira, e a segunda, sobre a corrupção entre servidores de órgão ambiental estadual, engenheiros ambientais, detentores de planos de manejo e proprietários de empresas madeireiras.

    Coletiva

    O MPF-AM irá realizar uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (10), às 15h30, paea falar sobre a apuração de possíveis irregularidades em fiscalizações de órgãos estatais nos portos de Manaus e consequentes interferências na repressão de crimes ambientais no Amazonas, considerando as ilegalidades durante as investigações da Operação Arquimedes. 

    Serão discutidas estratégias de enfrentamento conjunto dos ilícitos identificados na Operação Arquimedes, bem como reforço e aprimoramento da fiscalização estatal sobre infrações e crimes envolvendo o comércio exterior e de cabotagem que transitem pelo Amazonas. O encontro ocorrerá no prédio anexo do MPF, situado na avevenida Ephigênio Salles, 1570, Aleixo, na Zona Centro-Sul.

    Foram convidados para a reunião com o MPF representantes da Polícia Federal, Receita Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Secretaria Estadual de Fazenda do Amazonas (Sefaz), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), coordenador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de representantes dos dois portos de Manaus (Porto Chibatão e Porto Superterminais). Presidirá a reunião o procurador da República Leonardo Galiano, titular da Operação Arquimedes no MPF.

    Veja a reportagem da TV Em Tempo:

    Veja a reportagem | Autor: Luiz Rodrigues/TV Em Tempo
     

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    22 pessoas são denunciadas por fraudes e crimes ambientais no Amazonas

    Vídeo: MPF pede avanços na escolha do novo gestor do Ibama no Amazonas

    Comentários