Fonte: OpenWeather

    Sobrevivência


    Polo Relojoeiro luta pela sobrevivência no Polo Industrial do Amazonas

    O Polo relojoeiro diminuiu de modo acentuado nos últimos 20 anos. O PIM chegou a ter 27 empresas, mas hoje tem apenas 10

    “O Polo relojoeiro se absorveu de modo acentuado nos últimos 20 anos, partindo de 27 empresas, para somente 10 empresas em atividade" confirmou Cestari
    “O Polo relojoeiro se absorveu de modo acentuado nos últimos 20 anos, partindo de 27 empresas, para somente 10 empresas em atividade" confirmou Cestari | Foto: Leonardo Mota/Portal Em Tempo

    Manaus – O relógio , instrumento marcador das horas, teve sua origem na Judeia em 600 A.C, quando foram criadas as ampulhetas. A tecnologia desenvolveu-se com o passar dos anos.  Atualmente há modelos para todos os gostos e bolsos. Um fato curioso e que quase ninguém sabe é que o relógio tem um toque brasileiro. O pai da aviação Santos Dumont em 1914 popularizou o objeto com a ajuda do joalheiro Cartier. Os dois inventaram o primeiro relógio de pulso.

    "

    “Santos Dumont precisava cronometrar os tempos de voos de seus aviões durante as experiências, e naquele tempo o relógio ficava no bolso preso a uma corrente e ele não queria perder tempo. Pediu para Cartier que era seu amigo, pegar um relógio e pano e desenvolver um relógio que ficasse fixo ao braço”,. "

    Amilton Cestari, presidente do Sindicato das Indústrias de Relojoaria e Ourivesaria de Manaus (Sirom).

    Nos últimos 20 anos, o setor vem enfrentando desafios no mercado.
    Nos últimos 20 anos, o setor vem enfrentando desafios no mercado. | Foto: Leonardo Mota /Portal Em Tempo

     No Amazonas, o Polo Relojoeiro ganhou destaque com a instalação de várias fábricas do setor no Polo Industrial, na Zona Franca de Manaus, em 1970.  Nos últimos 20 anos, o setor vem enfrentando desafios. “O Polo diminuiu nos últimos 20 anos. De 27 empresas que havia no início em Manaus, temos somente 10  em atividade, muitas de pequeno porte, que operam com baixa margem de valor agregado. A retração da mão de obra no setor foi superior a 30%. Hoje há pouco mais de 2 mil pessoas empregadas.", afirmou Cestari. 

    Atualmente dez empresas atuam no Polo Industrial e estão registradas na Superintendência da Zona Franca de Manausna (Suframa): Magnum, Orient, Technos, Séculus, Chronos, Flextronic, Conipa, Tellerina, JR Comercio e Yongfeng Chen.

    Sobrevivência

    Em meio a instabilidade do futuro ,Setor Relojoeiro  tenta sobreviver no Polo Industrial de Manaus
    Em meio a instabilidade do futuro ,Setor Relojoeiro tenta sobreviver no Polo Industrial de Manaus | Foto: Leonardo Mota/ Portal Em Tempo

    “ O Polo nos últimos anos vem sofrendo prejuízo operacionais. Quem está instalado, está sobrevivendo ou procurando uma forma de sobreviver. Há ainda a questão da insegurança jurídica, já que hoje ninguém vem se estabelecer, com medo de fim da ZFM”, destacou Cestari.

    Amilton Cestari destacou que em 2018, dados recolhidos pela Suframa apresentaram um aumento tímido na produção, cerca de 8.985.846 peças, correspondente a R$ 8.808.327 em vendas realizadas pelas empresas instaladas em Manaus.

     Gráficos

    Segundo Cestari, o segmento tem o benefício mais simples da categoria, ou seja, o menor crédito estimulo na tabela de benefícios do Estado, na faixa de 50%. “Se olharmos a média da quantidade de faturamento por empregado, nós estamos faturamos um pouco mais que o Polo Eletrônico, mas se considerarmos o Polo de Duas Horas, o faturamento cai. Já em comparação com Polo Químico é menor ainda”, enfatizou.

    “Isso presenta que estamos dando mais valor ao empregado do que rentabilidade para a empresa”, destacou Cestari.

    Magnum

    Com a diminuição de custo e um valor mais acessível o objeto virou um aparelho de moda para os consumidores
    Com a diminuição de custo e um valor mais acessível o objeto virou um aparelho de moda para os consumidores | Foto: Leonardo Mota/Portal Em Tempo

    Amilton Cestari é diretor da fábrica Magnum Indústria da Amazônia SA, localizada na Cupiúba, Distrito Industrial I, Zona Leste da capital amazonense. A empresa  confecciona relógios de pulso e mantém cerca de 400 trabalhadores na linha de produção. Ele sabe sobre o que fala quando o assunto é relógio. “Antigamente, o relógio era comprado para se ver a horas, mas hoje está ligado a moda. É um acessório que combina com vários estilos, roupa e sapato. Isso motivou a empresa a realizar vendas para as lojas de departamentos no Brasil”, contou.

    A Magnum produz modelos como o Champion, Cosmos, Ana Hickman, Disney, Roberto Cavalli e Hang Loose. 

    De acordo com o executivo, os investimentos das empresas são otimistas. “Nesse último Prêmio Industrial do Ano, a Magnum venceu pelo investimento. Estamos investindo forte na região. Assim como todas as empresas instaladas na ZFM que são nacionais estão investindo” garantiu Cestari.

    Smartwatch 

    A produção do smartwatch ainda é uma interrogação para o Polo Relojoeiro de Manaus. “Um levantamento da própria Apple tinha uma perspectivava de venda grande, que não se realizou. Hoje, no mercado, não consideramos esse produto como relógio de pulso, e, sim, como um bem de informática”, ressaltou Amilton.

    Ainda sobre a produção do Smartwatch, o executivo explica que o o Processo Produtivo Básico (PPB) do aparelho ainda não está definido. “Quem está comercializando o produto, está importando. Ele não faz parte da fabricação da ZFM. No Polo Relojoeiro quase todas as empresas estão comercializando suas marcas desse produto, mas o desenvolvimento é quase sempre no mercado asiático”, concluiu Cestari.

    Empresas do PIM ainda não investem na produção do Smartwatch
    Empresas do PIM ainda não investem na produção do Smartwatch | Foto: Leonardo Mota /Portal EMTempo

    A moda antiga 

    Para o barbeiro Daniel Martins, de 32 anos, dono da Daniel´s Barbearia, localizada na avenida Nepal, no bairro Cidade Nova, Zona Norte da cidade, o uso do acessório chega a ser uma paixão. Ele afirma que gosta de ter um relógio no pulso, por ser funcional. 

    O barbeiro Daniel Martins possui mais de 10 relógios de modelos diferentes
    O barbeiro Daniel Martins possui mais de 10 relógios de modelos diferentes | Foto: Divulgação

    "Eu tenho doze relógios de pulso, modelos diferentes e caros. Não me considero um colecionador, porém compro e tenho de vários modelos e estilos. Ainda gosto da moda antiga, e prefiro saber das horas através do pulsar dos ponteiros”, contou Daniel. 

    Daniel, disse que começou a comprar relógios na adolescência e não parou mais. “Estou com um no pulso da marca Tissot,. Na época comprei por R$3 mil, mas sei que hoje é possível encontrar por até R$ 1.600 nas lojas. Também tenho Hugo Boss, Tommy Hilfiger entre outros”, finalizou o barbeiro.  

    Leia mais: 

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no WhatsApp. Clique aqui!:

    Espetáculo 'Encontro das Águas' começa nesta sexta no Teatro Amazonas

    Feira de pets celebra o Dia do Amigo em Manaus

    Comentários