Fonte: OpenWeather

    Itacoatiara


    Casa de Maria atende mulheres vítimas de violência no interior do AM

    Espaço é a primeira unidade de atendimento a mulheres vítimas de violência instalada no interior

    A casa já atendeu 34 mulheres | Foto: Divulgação/Sejusc

    Mulheres vítimas de violência no município de Itacoatiara contam com uma rede de serviços de atendimento especializado. Inaugurada há 45 dias, a Casa de Maria, projeto do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), oferece diariamente orientação, acolhimento e apoio a vítimas e seus familiares. O local é uma expansão dos serviços oferecidos pela Sejusc na capital.

    A Casa de Maria, um espaço anexo a Delegacia Especializada com atendimento social e psicólogo, faz parte de uma parceria entre Sejusc, Prefeitura de Itacoatiara, Movimento de Mulheres Camponesas de Itacoatiara e Delegacia Especializada no município, com apoio do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS) e Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam).

    Em menos de dois meses de funcionamento, a casa já atendeu 34 mulheres, residentes não só em Itacoatiara como também em outros municípios. De acordo com a titular da Sejusc, Caroline Braz, a casa foi primeiro modelo do projeto de expansão dos atendimentos a municípios do interior, que contarão com o Serviço de Apoio a Mulheres, Idosos e Crianças (Samic). 

    “É gratificante ver que o projeto já está dando resultados e mudando a vida de mulheres do interior. Estamos cumprindo a determinação do Governador Wilson Lima de atender efetivamente o público que tem dificuldade de acessar os serviços oferecidos na capital e levando até eles o atendimento”, reforça a titular da pasta. “A nossa proposta é que a Casa de Maria, no futuro, atenda também crianças e idosos, assim como os Samics, que pretendemos levar a diversos municípios”. 

    O local funciona em parceria com a sociedade civil, uma vez que representantes de movimentos sociais auxiliam na identificação de mulheres vítimas de violência no município e na educação da população. A coordenadora do Movimento de Mulheres Camponesas de Itacoatiara, Tânia Chantel, que auxilia também na coordenação do espaço, afirma que o trabalho integrado entre diversos serviços da Rede de Atendimento às Vítimas de Violência no município tem colaborado para a resolução de casos de violações de direitos. 

    “Para nós, o mais importante é tirar a mulher da situação de violência que ela sofre. A proximidade com a delegacia também é fundamental para articularmos a resolução dos casos de maneira efetiva”, afirma Tânia. “Ficamos felizes, principalmente, com o compromisso e seriedade com que o Governo está tendo com a vida e os problemas dessas pessoas”.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários