Fonte: OpenWeather

    Gastos


    Governo do AM economiza mais de R$ 3 milhões em combustível, diz Sead

    De acordo ainda com a Sead, os gastos com essa despesa tiveram redução de 11,5% nos primeiros sete meses de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado.

    O preço pago pelo Estado é o valor na bomba | Foto: Gabriel Retondano/Sead

    Manaus-  A Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead) informou nesta quarta-feira (21) que o governo do Amazonas economizou, este ano, mais de R$ 3,2 milhões no consumo de combustíveis pela frota de veículos de secretarias, órgãos e entidades que compõem o Executivo Estadual. 

    De acorco ainda com a Sead, os gastos com essa despesa tiveram redução de 11,5% nos primeiros sete meses de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado.

    Para promover essa economia, a atual gestão da Sead passou a utilizar ferramentas do sistema de controle do consumo de combustíveis que já estavam disponíveis desde outros governos, como informa a secretária de Administração e Gestão, Inês Carolina Simonetti.

    “Anteriormente, o sistema era subutilizado. Definimos padrões como a capacidade do tanque de cada veículo, os quilômetros percorridos a cada tanque cheio e o intervalo de tempo entre os abastecimentos. Agora, tudo é monitorado pelo sistema, que não permite, por exemplo, que um novo abastecimento ocorra antes de os litros de combustível colocados no abastecimento anterior serem consumidos quase que na totalidade. Esse consumo também deve ocorrer dentro de um espaço de tempo que leva em conta quantos quilômetro esse veículo percorre com um litro”, explicou.

    Outros processos de parametrização implantados pela Sead são: auditoria no cadastro dos veículos, quantidade de abastecimento por turno, vistoria do hodômetro. Tudo isso permitiu um consumo equivalente a R$ 24,9 milhões este ano, contra R$ 28,1 milhões em 2018.

    A frota é abastecida em postos cadastrados. O preço pago pelo Estado é o valor na bomba. Na capital, nos primeiros sete meses de 2019, as médias dos valores dos tipos diesel (comum e S-10) cobrados pelos postos foram acima dos praticados no mesmo período de 2018.

    “Mesmo com o combustível mais caro, nos casos dos tipos de diesel, conseguimos reduzir essa despesa aumentando a frota. Nenhuma das nossas medidas representam que deixamos de prestar os serviços de responsabilidade do Governo. Pelo contrário, aumentamos a presença do Estado incrementando a frota”, destacou Inês.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários