Fonte: OpenWeather

    Empreendimentos


    FAS divulga resultados de projetos apoiados pelo Fundo Amazônia

    São 17 iniciativas como construção de pousada, reforma de usina de castanha e aquisição de barco para manejo de pirarucu expondo números, soluções e desafios

    Entre os 17 projetos apoiados estão a construção de uma pousada | Foto: Divulgação

    Manaus- Dezessete projetos que receberam recursos do Fundo Amazônia/BDNES por meio da chamada pública Edital Floresta em Pé, da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), divulgam a partir desta terça-feira, (10) resultados, soluções e desafios na execução de seus projetos durante o III Seminário de Boas Práticas do Edital Floresta em Pé, a ser realizado na sede da FAS, em Manaus, na rua Álvaro Braga, Parque Dez. O objetivo principal é compartilhar as atividades desenvolvidas e seus respectivos resultados, além do planejamento para os novos rumos dos empreendimentos.

    Entre os 17 projetos apoiados estão a construção de uma pousada, a reforma de uma usina de castanha, a construção de unidades de beneficiamento de pirarucu e de produção de farinha, a aquisição de um barco para manejo de pesca, o fortalecimento do cultivo do guaraná, entre outros. Ao todo, foram repassados R$ 2,5 milhões do Fundo Amazônia para a execução das atividades por meio do Edital Floresta em Pé, pelo período de um ano e meio. Além dos resultados, o seminário também inclui treinamentos, palestras e grupos de trabalho sobre empreendedorismo, financiamento e microcrédito, captação de recursos, gestão de negócios e comunicação.

    foram repassados R$ 2,5 milhões do Fundo Amazônia
    foram repassados R$ 2,5 milhões do Fundo Amazônia | Foto: Divulgação

    “A ideia é que os representantes de cada um dos projetos apoiados, antes de apresentarem seus resultados e boas práticas aplicadas, tenham mais aprendizagem e acesso a novas oportunidades para seus negócios, a fim de fortalecerem as bases de suas ações futuras”, explicou a coordenadora do Edital Floresta em Pé, Mickela Souza. “Como eles vão mostrar os resultados finais, é uma oportunidade para que se discuta os investimentos financeiros nessas áreas, nas cadeias produtivas, e ressaltar como os recursos do Fundo Amazônia ajudam e fazem a diferença na vida dessas pessoas, na vida das comunidades ribeirinhas. Vai ser uma vitrine do Fundo Amazônia”.

    Para serem financiados pelo Fundo Amazônia, os 17 projetos apoiados passaram por uma rigorosa seleção entre mais de 180 iniciativas inscritas que abarcavam 36 municípios do Amazonas. Um comitê externo avaliou os projetos e selecionou 17 deles, executados tanto dentro como fora do perímetro de Unidades de Conservação (UC). “O Edital Floresta em Pé fez com que a FAS ampliasse ainda mais a atuação no entorno das reservas. O motivo foram as ondas de calor e desmatamento que vinham de fora das áreas de UC, pressionando estas áreas protegidas. Então foi preciso ultrapassar essa linha e experimentar atuar fora. E deu certo”, completou Mickela Souza.

    Programação

    Os 17 projetos apoiados passaram por uma rigorosa seleção
    Os 17 projetos apoiados passaram por uma rigorosa seleção | Foto: Divulgação

    O III Seminário de Boas Práticas do Edital Floresta em Pé acontece durante dois dias. O primeiro é nesta terça, (10) e é voltado para palestras e treinamentos dos representantes de projetos e associações de produtores. O segundo dia é na quarta-feira, (11), quando os resultados alcançados com recursos do Fundo Amazônia/BNDES deverão ser divulgados por cada uma das 17 iniciativas.

    Além dos representantes dos projetos, também participam do seminário as secretarias de Meio Ambiente (Sema), Produção Rural (Sepror) e Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), o Bradesco, a Banco da Amazônia (Basa), o Fundo de Promoção Social (FPS), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), a Agência de Fomento do Amazonas (Afeam), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), o Sebrae e o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam).

    *Com informações da assessoria 

    Comentários