Fonte: OpenWeather

    Dependentes químicos


    Vídeo: lei de internação compulsória entra em vigor no Amazonas

    A lei sancionada em junho deste ano prevê a internação de 90 dias para usuários de drogas sem a necessidade de autorização judicial

    Assista à reportagem | Autor: Waldir Adriano/ TV Em Tempo

    Em Manaus não é difícil encontrar nas ruas usuários de drogas precisando de internação
    Em Manaus não é difícil encontrar nas ruas usuários de drogas precisando de internação | Foto: Reprodução TV Em Tempo

    Manaus- Entrou em vigor neste mês de setembro a lei sancionada pelo governo federal que autoriza a internação compulsória de dependentes químicos, ou seja, sem necessidade de autorização judicial. O tema é relevante e divide opiniões no Amazonas.

    De acordo com o Ministério da Saúde, entre os anos de 2008 e 2018 foram mais de 600 mil internações provocadas pelo uso de substâncias ilícitas no Brasil. O país vem desembolsando a casa década mais de R$ 9 bilhões.

    No Amazonas

    Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), existem três meios de internação:  a primeira é a voluntária, quando o usuário busca auxílio espontaneamente;  a segunda forma é a involuntária, realizada por indicação médica; e há a terceira opção que se trata da internação por determinação da justiça, quando o paciente oferece risco à sociedade ou a si mesmo. No Amazonas, a internação compulsória funciona apenas nesse último caso.

    O atendimento hoje é realizado no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, localizado na avenida Constantino Nery, na Zona Centro-Sul, ou no centro de reabilitação de dependentes químicos, na rodovia estadual AM-010. O acolhimento mínimo é de três meses. O Amazonas é considerado "corredor do tráfico" e isso explica o acesso fácil que amazonenses têm às drogas.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista à reportagem | Autor: Waldir Adriano/ TV Em Tempo
     

    Texto Web: Bruna Oliveira 

    Comentários