Fonte: OpenWeather

    Comemoração


    Centros Estaduais participam de atividades ambientais no Cigs

    O evento acontece no Centro de Instrução de Guerra na Selva

    Os centros de convivência administrados pela Seas têm realizado vários trabalhos | Foto: Divulgação/Seas

    Manaus- A Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), por intermédio do Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola e do Centro de Convivência Estadual do Idoso (Ceci), participou nesta sexta-feira, (20) da comemoração dos 14 anos da Delegacia Especializada em Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), dando sua contribuição com ações práticas de proteção ao meio ambiente. Com o tema: “Eu faço parte do Meio Ambiente! E você?”, o evento acontece no Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), no bairro São Jorge, zona oeste de Manaus, das 9h às 16h.

    Os centros de convivência administrados pela Seas têm realizado vários trabalhos visando conscientizar a comunidade para a adoção de práticas educativas de proteção ao meio ambiente. O Padre Pedro Vignola, situado na Cidade Nova, zona norte de Manaus, levou para o evento amostras de sabão caseiro feito a partir da reutilização do óleo de cozinha, também conhecido como óleo de fritura. O produto final é feito nas oficinas de aproveitamento realizadas no Centro, por mulheres, em sua maioria, que estão em busca de uma atividade que gere renda.

    A diretora do Padre Pedro Vignola, Elisabete Maciel, disse que a atual gestão do Padre Pedro instalou no local um posto de coleta de óleo de cozinha usado, que é utilizado na produção de sabão. O produto é doado às participantes da oficina, que com a ajuda de uma instrutora, transformam em sabão caseiro, tanto para uso próprio como para ser vendido na comunidade.

    “Ao invés do óleo usado ser descartado no solo e rios, o que resulta na contaminação do meio ambiente, esse produto é reutilizado nas oficinas”, informou a dirigente, ressaltando que o projeto envolve tanto os frequentadores do Centro como as pessoas que lá trabalham.

    Fora isso, o Padre Pedro apresentou no Cigs um trabalho de jardinagem, com mudas de plantas cultivadas pelos alunos, que também reaproveitam garrafas PET, latas de leite, assim como embalagens de papelão. Cristina Souto Chaves, 68, usuária do Centro, faz hidroginástica e à noite participa do curso de jardinagem “Plantando na lata”. As latas viram um vaso de planta, assim como ouriços de castanha e caixas de leite do tipo longa vida.

    Por sua vez, o Ceci, situado no bairro de Aparecida, zona sul, levou para o evento uma pequena mostra do que as idosas fazem na área de artesanato, tendo como matéria-prima produtos recicláveis como garrafas plásticas, potes, pinchas, tampas de garrafas de refrigerantes e de água, CDs e outros. Leila Fernandes, 63 anos, frequentadora assídua do Centro há 11 anos, disse que todos esses produtos descartáveis viram produtos acabados como fuxicos, lixeiras, tapetes, pesos de porta entre outros.

    “Quando fui para o Ceci, cheia de problemas, não tinha ideia da minha capacidade de aprender artesanato”, disse, ressaltando que malhar é importante, mas aprender uma atividade enriquece o currículo e a autoestima.

    A pedagoga do Ceci, Marilza Ferreira, disse que esse tipo de atividade, além de ajudar a não depredar o meio ambiente, enriquece o idoso porque eleva sua autoestima e o torna produtivo. “Ao incentivá-los a juntar produtos descartáveis, que poderiam ir para o lixo e contaminar o meio ambiente, estamos ajudando a transformar lixo em artesanato e incentivando a geração de renda. “Tudo isso ajuda a melhorar a qualidade de vida deles”, sintetizou.

    A confraternização da Dema, pertencente à Polícia Civil do Amazonas, contou com a contribuição de diversos parceiros das esferas estadual, municipal e federal, que promoveram, atividades como oficinas, exposições, palestras educativas e visitação guiada pelo zoológico do Cigs. A delegada Carla Biaggi, considera mais do que uma comemoração. Ele explica que antes de reprimir é importante orientar, educar a respeito das condutas ambientais. “Na delegacia temos adotado essa postura”, frisou.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários