Fonte: OpenWeather

    CMM


    Em Manaus, PL exige acompanhamento em exames ginecológicos

    De acordo com o Projeto de Lei que tramita na Câmara Municipal, o profissional precisa ser uma técnica de enfermagem

    Vereador Ronaldo Tabosa é o autor do Projeto de Lei que tramita na CMM
    Vereador Ronaldo Tabosa é o autor do Projeto de Lei que tramita na CMM | Foto: Aguilar Abecassis - Dircom/CMM

    Manaus - Após recentes escândalos divulgados na mídia local e nacional a respeito de casos de assédio e importunação sexual provocados durante consultas e exames com ginecologistas, o vereador Ronaldo Tabosa (sem partido) apresentou o Projeto de Lei (PL) Nº 247/2019.

    A propositura torna obrigatória que os procedimentos ginecológicos realizados em unidades de saúde de Manaus sejam efetuados na presença de uma técnica de enfermagem.

    A proposta está em trâmite na Câmara Municipal de Manaus (CMM), localizada no bairro Santo Antônio, Zona Oeste da capital amazonense, e deve ser analisada pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

    Segurança

    O parlamentar Ronaldo Tabosa justifica que a proposta garante segurança tanto para o médico, quanto para a paciente. “O especialista poderá atuar com tranquilidade e ficar livre de qualquer falsa acusação. A ideia também protege as mulheres que buscam o atendimento. Elas se sentirão mais acauteladas com a presença de uma técnica de enfermagem acompanhando os procedimentos do médico”, explica o vereador Ronaldo Tabosa.

    A proposta garante segurança tanto para o médico, quanto para a paciente
    A proposta garante segurança tanto para o médico, quanto para a paciente | Foto: Reprodução

    Redes sociais

    De acordo com levantamento que foi realizado com vítimas em redes sociais, 53% das mulheres entrevistadas afirmaram já terem sofrido abuso sexual ou moral em consultas com médicos especialistas em ginecologia no Brasil.

    Conforme os dados da análise, as pacientes (vítimas) relataram tratamentos inadequados e agressivos, além de comentários humilhantes dos médicos que deixaram traumas. O levantamento apresenta, ainda, que apenas 4% das mulheres envolvidas na pesquisa chegaram a fazer alguma denúncia sobre o crime.

    Tabosa também ressalta que o projeto deve inibir as práticas ilícitas dentro dos consultórios e resguardar a conduta do especialista e da paciente.

    “São necessárias que providencias venham ser tomadas para proteger a integridade do médico e da mulher que busca o atendimento. Muitas não se sentem a vontade sozinhas com o profissional, principalmente quando se trata de um homem desconhecido, existe até mulheres que não cuidam da saúde intima por causa desse receio. A técnica em enfermagem servirá como uma orientadora e até mesmo como um ‘anjo da aguarda’ nessas consultas ou exames”, defende o vereador Ronaldo Tabosa.

    Vagas no mercado de trabalho

    O parlamentar destaca, ainda, que o projeto de lei também deve viabilizar novas vagas no mercado de trabalho. “Serão mais empregos, com a contratação de técnicas de enfermagem para atuarem junto com ginecologistas. Acredito que ajudarão o médico a executar respeitoso e saudável”, concluiu Tabosa.

    Comentários