Fonte: OpenWeather

    Denúncia


    Bebê morre em Hospital de Pauini e família denuncia negligência médica

    O pai da criança revela que a equipe médica não atendeu recomendações dos funcionários da Unidade Básica de Saúde (UBS), que realizou o atendimento inicial

    Pauini - Um bebê do sexo masculino morreu na Unidade Hospitalar do município de Pauini (925 quilômetros de Manaus). Conforme o pai da criança, José Romário Vieira, de 31 anos, o fato ocorreu no último dia 2 de novembro após complicações durante o trabalho de parto. O responsável acusa a instituição por negligência médica, por não se atentarem às informações de encaminhamento feitas pela Unidade Básica de Saúde (UBS).

    Ao Portal Em Tempo, o homem disse que acompanhou a esposa na Unidade Hospitalar, Maria do Socorro Gomes Ferreira, de 23 anos, no dia 31 de outubro, quando os procedimentos de parto iniciaram. José informou que a UBS salientou, no encaminhamento, que, por conta dos resultados dos exames, o parto de Maria deveria ocorrer em cirurgia cesariana, mas a Unidade Hospitalar decidiu fazer o parto normal.

    “Quando minha esposa estava grávida, fizemos o pré-natal na Unidade Básica de Saúde (UBS) de Pauini. O médico da UBS descreveu no encaminhamento que a Maria tinha desproporção pélvica, ou seja, não tinha passagem. Mas, ao chegarmos na Unidade Hospitalar, eles disseram que ela tinha pouca passagem, mas dava para fazer o parto normal”, explicou o homem.

    No entanto, na madrugada do dia 31, José contou que a esposa sofreu com dores de parto. Ele então relembra que a médica residente da Unidade informou que Maria estava bem e a criança estava com os batimentos cardíacos estáveis, mas, durante o parto, por não ter passagem para o bebê, a paciente ficou com algumas sequelas.

    “O meu filho nasceu com complicações respiratórias. O hospital, sem estrutura e equipamentos para socorrê-lo, não pôde salvar a vida dele. Ele morreu no dia 2 de novembro”, acrescentando o homem, ressaltando que Maria passou a ter dificuldades de locomoção e precisou voltar outra  vez ao local para fazer reparos nas partes íntimas.

    A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que a partir do Termo de Compromisso de Gestão (TCG), assinado em 2018, os municípios respondem pela gestão dos hospitais no interior. Sendo assim, o órgão é responsável pelos recursos financeiros e equipamentos para o funcionamento das unidades.

    A Susam disse que solicitou, junto a Unidade Básica de Saúde (UBS) e do Hospital de Pauini, os prontuários da paciente e do recém-nascido, para apurar o caso e abrir o processo administrativo. A titular da  Secretaria Municipal de Saúde do município, Simone Mourão, informou que o órgão está dando assistência psicológica e clínica para a responsável da criança e informou que está à disposição para esclarecimentos. 

    Em relação às providências adotadas pelos médicos responsáveis pelo parto, a secretária informou que a atribuição de analisar os procedimentos dos servidores da instituição, é de competência da Susam.

    "Existem dois tipos de gestão: a municipalizada, onde o município tem responsabilidade total sobre a Unidade de Saúde, e outra, que assinamos, onde as responsabilidades são divididas entre município e Estado", explicou Mourão.

    Comentários