Fonte: OpenWeather

    Esclarecimentos


    Vídeo: desembargador nega abuso sexual contra neta

    O ex-juiz da Infância e Juventude foi denunciado por abusar sexualmente da neta, desde que ela tinha sete anos de idade

    Assista à reportagem | Autor: Luiz Rodrigues/TV Em Tempo

    O ex-juiz da Infância e Juventude prestou depoimento sobre a acusação de abusar sexualmente a própria neta
    O ex-juiz da Infância e Juventude prestou depoimento sobre a acusação de abusar sexualmente a própria neta | Foto: Arquivo/ET

    O desembargador aposentado Rafael Romano, de 73 anos, foi ouvido na manhã desta sexta-feira (22), pelo juiz Ian Andrezzo Dutra, da Vara de Crimes Contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes no Fórum Ministro Henoch Reis, no bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus. Os esclarecimentos fazem parte da última etapa do processo em que ele é denunciado por abusar sexualmente da própria neta, desde que ela tinha sete anos de idade. Atualmente, a menina tem 16 anos.

    O ex-juiz da Infância e Juventude preferiu não se pronunciar à imprensa sobre os argumentos utilizados no depoimento. Entretanto, a defesa da ex-nora do ex-juiz da Infância e Juventude, a advogada Luciana Pires, informou que o depoimento do desembargador durou menos de uma hora e que ele negou todas as acusações. No depoimento, segundo a acusação, Romano disse amar os netos e alegou uma perseguição por parte da família, que estaria interessada no patrimônio que ele adquiriu ao longo da magistratura.  

    Entenda o caso

    O caso foi denunciado em fevereiro de 2018. Na ocasião, a ex-nora Luciana Pires, tornou público em redes sociais, o relato da filha contando sobre os abusos sexuais cometidos pelo avô, que duraram pelo menos sete anos. Segundo a vítima, o último abuso teria acontecido em 2016.

    Quando atuava como juiz da Infância e da Juventude, Romano foi relator da "Operação Estocolmo", que resultou na prisão do ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, em 2014, por chefiar um esquema de exploração sexual infantil. Romano foi quem decretou a prisão de Adail.

    Outras acusações

    No mês de agosto de 2018, uma mulher, de então 29 anos, também denunciou o desembargador Rafael Romano, por abuso sexual. O fato teria acontecido quando ela tinha 13 e 14 anos e trabalhava como babá na casa da filha do ex-juiz da Infância e Juventude.

    Na época da denúncia, a mulher relatou em entrevista a um canal de televisão que entrou na casa da família no ano de 2002, com apenas 13 anos e que, após um ano, o então juiz começou a molestá-la. O desembargador, segundo a vítima, chegou a levá-la para um motel, onde teria aliciado a vítima e a tocado nas partes íntimas. 

    A mulher formalizou a denúncia na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e no Ministério Público do Amazonas (MPE). O processo em torno do caso segue em andamento.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo: 

    Assista à reportagem | Autor: Luiz Rodrigues/TV Em Tempo
     


    Comentários