Fonte: OpenWeather

    Limpeza Pública


    Em meio ao próprio lixo, moradores cheiram podridão na Cidade Nova

    Algumas pessoas que passam pelo local pedem o apoio da Prefeitura na instalação de uma lixeira e também na conscientização por meio de campanha educativa

    A lixeira fica ao lado da entrada da ponte | Foto: Naylene Freire

    Manaus - Você já sentiu falta de ar? Ou por algum motivo não conseguiu respirar? Essa é a sensação que os moradores da comunidade do núcleo 2, situada no bairro Cidade Nova 2, Zona Norte de Manaus, estão passando há meses. O cheiro de podre oriundo de uma lixeira atrapalha a respiração dos moradores da região. Tudo isso ocasionado por uma lixeira viciada, que toma a frente do acesso a uma ponte utilitária para a comunidade. A lixeira está localizada na rua 1 e, segundo os moradores, está esquecida pelo poder público.

    A lixeira fica ao lado de uma ponte que dá acesso aos núcleos 2 e 4. O pior problema é quem precisa transitar entre os núcleos, pois atrapalha o fluxo dos moradores. E entre os núcleos existem escolas e uma Unidade Básica de Saúde (UBS), sem contar o comércio, caixas eletrônicos e posto de gasolina que funcionam entre os núcleos. Realmente o local é marcado, não somente pela lixeira, mas pelo odor. É possível sentir de longe o cheiro de podre no local.

    Conforme moradores, animais mortos são jogados no local, por isso o forte odor
    Conforme moradores, animais mortos são jogados no local, por isso o forte odor | Foto: Naylene Freire

    Os moradores relataram que mesmo com a placa educativa (não jogue lixo) as pessoas não respeitam. Ferrúcio Colombo, que no momento está desempregado, contou sobre o atual estado pelo qual a comunidade tem passado.

    | Autor: Bianca Ribeiro
     

    “As pessoas jogam de tudo aqui, até animal morto, como vocês observaram. Além disso, nessa lixeira você encontra geladeira, sofá, armário, e tudo que você possa imaginar jogam aqui perto da ponte. Eu atravesso todos os dias esse trecho e é comum encontrar lixo. Eles jogam lixo tanto desse lado quanto do outro lado da ponte. E quem joga o lixo são os próprios moradores, inclusive pessoas de outros núcleos jogam lixo aqui também. Já fizemos várias denúncias para os órgãos, mas nada aconteceu. Colocamos placa, mas eles permanecem jogando lixo”, contou Colombo.

    A lixeira tem de tudo: televisão, roupas, restos de armário, entre outros objetos
    A lixeira tem de tudo: televisão, roupas, restos de armário, entre outros objetos | Foto: Naylene Freire

    Na rua 1 existe um matagal alto tornando o lugar perigoso, pois os moradores sentem insegurança e medo de alguém poder se esconder no local. Afinal, o mato alto impede a visualização da ponte, sem contar a sensação de abandono sentida pelos moradores.

    “A rua parece palco de filme de terror: tudo abandonado, sem contar o mato e cheiro horríveis”, foi a frase dita por Antônio Maciel, morador da comunidade, que está indignado com a situação do bairro.

    | Autor: Bianca Ribeiro
     

    “Precisamos passar por isso todos os dias, esse odor, esse lixo, é um absurdo. Não consigo respirar, quando passo por aqui. Fico pensando nos vizinhos que moram aqui na frente. Os próprios moradores jogam o lixo e tudo que não presta. Minha sugestão e um apelo para que a Prefeitura faça uma lixeira grande para jogarem os entulhos aqui no local - já que eles [moradores] estão acostumados a jogar lixo aqui. Vários já denunciaram, mas nada acontece. Tem até jacaré nesse igarapé, e com o mato ficamos impedidos de ver o que está acontecendo”, relatou Maciel.

    O matagal é motivo de preocupação em relação à criminalidade
    O matagal é motivo de preocupação em relação à criminalidade | Foto: Naylene Freire

    A Secretaria Municipal de Limpeza Pública foi procurada pelo Em Tempo, mas até o fechamento dessa matéria não se manifestou sobre o assunto. 

    Comentários