Fonte: OpenWeather

    Manifestação


    Moradores do Monte Horebe fazem manifestação contra desocupação

    O governo do Estado do Amazonas anunciou que a invasão Monte Horebe começará a ser desocupada na próxima segunda-feira (2)

    Os moradores começaram a se reunir no final da tarde
    Os moradores começaram a se reunir no final da tarde | Foto: Divulgação

    Manaus – No início da noite desta sexta-feira (28), por volta das 18h30, moradores da invasão Monte Horebe, na Zona Norte de Manaus, se reuniram pelas ruas do conjunto Viver Melhor 2, para se manifestarem contra a desocupação anunciada pelo Governo do Estado do Amazonas.A ação está agendada para acontecer na próxima segunda-feira (2).

    Centenas de pessoas estiveram com cartazes com mensagens contra desocupação da área e pedindo moradias dignas. Conforme os moradores, a principal preocupação é com o destino das famílias que vivem no local e não possuem condições financeiras para ter um lar. A Polícia Militar esteve no local auxiliando na pacificidade do ato.

    A invasão Monte Horebe surgiu em 2015 e é apontada como um local dominado por facções criminosas. Na área já foram registrados vários crimes como homicídios, tráfico de drogas e posses de armas. Lideranças criminosas foram presas pela Polícia Civil. Elas eram suspeitas de participar de um milícia que cobrava taxas para que os moradores pudessem permanecer no local. É o crime organizado quem vende terrenos, estabelece horários, impõe taxas e controla o acesso na região.

    Outro ponto da invasão irregular é a grande preocupação para ambientalistas e órgãos de proteção ambiental. A maior delas é a derrubada de árvores centenárias nas proximidades da Reserva Florestal Adolpho Ducke e a proximidade da invasão das nascentes do Igarapé do Mindu.

    O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas instaurou inquérito civil, em 30 de setembro de 2018, para apurar o dano ambiental à Reserva Florestal Adolpho Ducke decorrente da ocupação irregular ou outras ocupações desordenadas no entorno.

    Reintegração

    Durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira (28), o vice-governador e secretário-chefe da Casa Civil do Estado do Amazonas, Carlos Almeida, enfatizou que, além da preocupação da segurança pública, urbanismo e ambiental, as pessoas são a preocupação primária da reintegração.

    “Queremos retirar a criminalidade de cima dessas famílias que residem no Monte Horebe, mas não vamos deixá-los desamparados e a própria sorte", declarou.

    Carlos Almeida destacou que o início da desocupação está sendo divulgado com 48 horas de antecedência com objetivo de que a ação não seja tumultuada e que não seja uma operação de choque. Equipes de órgãos sociais do Estado estarão acompanhando a ação e conforme o vice-governador nenhuma família ficará desamparada.

    Comentários