Fonte: OpenWeather

    Alerta da cheia em 2020


    Cheia: nível do Rio Negro em 2020 será dentro da normalidade, diz CPRM

    O primeiro boletim divulgado, na manhã desta terça-feira (31), pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), afirma que a cheia de 2020 será dentro da normalidade

    A média desta primeira previsão é de que a cheia em 2020 atinja o nível de 27,95m a 28,65m
    A média desta primeira previsão é de que a cheia em 2020 atinja o nível de 27,95m a 28,65m | Foto: Bruna Oliveira

    Manaus – Foi apresentado na manhã desta terça-feira (31) pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o 1º alerta de cheias para a cidade de Manaus em 2020. A previsão é de que o Nível do Rio Negro não saia da normalidade nos meses de junho e julho deste ano.

    A média desta primeira previsão é de que a cheia em 2020 atinja o nível de 27,95m a 28,65m. O nível do Rio Negro atualmente ainda permanece 1,12m, abaixo do esperado para este ano. Cerca de 19% das cheias históricas aconteceram no mês de junho e julho, por isso são emitidos alertas de cheias no final dos meses de março, abril, maio e junho. 

    Para entender a dinâmica dos rios é preciso saber que Manaus é toda banhada pelo Rio Negro, que se une ao Rio Solimões, formando o Rio Amazonas. Quando o Solimões sobe e o Rio Negro também, consequentemente, acontece a cheia.

    A maior enchente registrada foi em 2012, quando o nível do rio alcançou 29,97 metros
    A maior enchente registrada foi em 2012, quando o nível do rio alcançou 29,97 metros | Foto: reprodução

    A Pesquisadora responsável pelo Sistema de Alerta Hidrológico do Amazonas, Luna Gripp Simões, explicou, em coletiva, como acontecem as medições dos níveis de chuva e nível da água nas principais calhas do Amazonas. Entre elas estão as estações fluviométricas que medem a quantidade de água, nível, qualidade de água; as estações pluviométricas, onde captam o volume de água da chuva e estações telemétricas - quando as informações são transmitidas via satélite, facilitam o acesso à informação de hora em hora. 

    “Quando a gente percebe que o rio vai subir ou descer mais do que esperado, geramos informação de qualidade sobre esses alertas. Desenvolvemos também modelos de previsão e vão sendo aplicados de acordo com as características de cada bacia”, explica a pesquisadora. 

    Luna Gripp também explica que as cheias ocorrem naturalmente, pois os rios obedecem uma dinâmica. Uma das formas de saber sobre cotas emergenciais em Manaus é quando as águas chegam na rua dos Barés, no Centro da cidade. 

    As informações do alerta mostram também que nos últimos 10 anos aconteceram as maiores cheias na cidade, ou seja, a dinâmica do Rio Negro com o Rio Solimões tem mudado com o tempo, mas que agem de acordo com sua normalidade, levando em consideração os níveis de chuva na região amazônica. 

    Os pesquisadores explicam que o Rio Negro começou 2020 com a cota acima do esperado e permaneceu no mesmo ritmo, isso porque dezembro de 2019 e janeiro de 2020 choveu acima do nível. Embora houvesse a estimativa de continuar com a subida do nível do rio não houve ainda impacto direto à população das regiões monitoradas. 

    O gráfico demonstra o comportamento do nível do Rio Negro em 2020
    O gráfico demonstra o comportamento do nível do Rio Negro em 2020 | Foto: reprodução

    Com base no nível de hoje, 31 de março, a previsão é que não ocorra eventos de El Ñino, o evento que altera o clima regional e afeta diretamente o nível das chuvas na região. Ou seja, a cheia do Rio Negro não vai ser um problema para Manaus em 2020, levando em consideração às outras cheias registradas na história da cidade. 

    No dia 17 deste mês, foi registrado o maior nível do Rio Negro desde janeiro de 2020. O rio encheu 3 cm neste primeiro semestre. O nível do rio é atualizado diariamente pelo engenheiro do Porto de Manaus Valderino Pereira, e monitorado pela Defesa Civil do Amazonas.

    Segundo o último boletim divulgado no site da CPRM, no dia 20 de março o nível de subida do Rio Negro permanece regular. 

    "O rio Negro apresentou subida de alguns centímetros nas estações de São Gabriel da Cachoeira, Tapuruquara (Sta. Isabel do Rio Negro) e Barcelos, indicando princípio do processo de enchente nessas estações. Em Manaus, o rio Negro apresentou subida regular de nível na última semana, subindo 23 cm nos últimos 7 dias", diz o documento. 

    Cheia histórica

    As maiores cheias registradas aconteceram nos últimos 10 anos
    As maiores cheias registradas aconteceram nos últimos 10 anos | Foto: Arquivo Em Tempo

    A maior enchente registrada foi em 2012, quando o nível do rio alcançou 29,97 metros, a cota mínima da vazante foi registrada em 2010 com 13,63 metros. A Defesa Civil trabalha de acordo com os alertas divulgados pelo CPRM. As regiões mais afetadas com a cheia são as do rio Madeira, do município de Manacapuru e o entorno de Manaus.

    Em 2019, o Rio Negro desceu 11 metros e quem navegava pelas águas da região precisava de cuidado por conta dos perigos. O período da vazante encerrou no início de novembro. A cheia dos rios do Amazonas, no primeiro semestre de 2019, contabilizou prejuízos na pecuária e agricultura de R$ 65,9 milhões, de acordo com dados do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Confira a reportagem | Autor: Luiz Rodrigues/ TV Em Tempo
     
    Comentários