Fonte: OpenWeather

    Sistema Funerário


    AM recebe 800 urnas nos próximos dias, mas demanda pode chegar a 2 mil

    Empresas privadas aguardam carregamento com novas urnas funerárias para suprir a alta demanda de enterros no Amazonas

    | Foto: Alex Pazuello

    Manaus- Caso a média de mais de 100 mortes causadas pelo novo coronavírus (Covid-19) por dia seja mantida, Manaus precisará de uma grande quantidade de urnas funerárias. A avaliação é da Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário (Abredif), que solicitou ao governo federal um avião de carga para o transporte de 2 mil urnas funerárias para a capital do Amazonas.

    O presidente do Sindicato das Empresas Funerárias do Estado do Amazonas (Sefeam), Manoel Viana, explica que, antes da pandemia, Manaus tinha, em média, 30 óbitos por dia, destacando que os cemitérios e funerárias já estavam preparados para esta quantidade, mas que, por conta da pandemia da Covid-19, o número triplicou e o setor trabalha praticamente sem estoque.

    “Nós fomos surpreendidos, então nem o poder público estava preparado E nem tão pouco as empresas funerárias estavam preparadas com o estoque para suportar tamanha demanda”, destacou o presidente do Sefeam.

    A Abredif enviou uma carta à Secretaria de Articulação Social do governo federal, no último fim de semana, alertando para a gravidade do problema. De acordo com o presidente da associação, Lourival Panhozzi, há a necessidade imediata de reforço no estoque. "Se o governo não oferecer um avião para o transporte de urnas, poderemos chegar ao ponto de termos corpos jogados nas esquinas. Os transporte rodoviário e hidroviário demora dias e a necessidade é imediata," afirma.

    Novas Urnas 

    Manaus está registrando uma média de 100 enterros diários
    Manaus está registrando uma média de 100 enterros diários | Foto: Divulgação

    O presidente da Sefeam não informou a quantidade de urnas disponíveis, mas estima que o estoque irá durar cerca de dez dias, caso a média de sepultamentos diários não ultrapasse 120. Ele informou que mantém negociações com os sindicatos das empresas funerárias de demais estados para pedir apoio ao Estado do Amazonas. A intenção é articular transporte rodoviário e fluvial para abastecer o Estado.

    "Está chegando um lote via balsa nesta quinta-feira (30), com 100, já no domingo (26), vai chegar um lote com 300 via caminhão (em balsa de Porto Velho). Na terça-feira (5), também chega balsa 400 urnas. As empresas do Sefeam vão adquirir mais mil nesta quinta-feira (30)," disse presidente do Sefeam, Manoel Viana

    Dados

    Até quarta-feira (29), o Amazonas havia registrado 4.801 casos confirmados de coronavírus e 380 mortes por Covid-19, além de outras mortes por diferentes causas. O principal cemitério de Manaus, o Nossa Senhora Aparecida, passou a realizar enterros noturnos e em trincheiras, com vários caixões ao mesmo tempo, para agilizar o processo.

    Antes, a cidade tinha 30 enterros por dia, em média. A prefeitura chegou a anunciar que enterraria caixões empilhados, mas desistiu, depois da repercussão negativa. As autoridades amazonenses estimam que o pico da Covid-19 no Estado será na primeira quinzena de maio. 

    Comentários