Fonte: OpenWeather

    Isolamento Social


    Emoção: Grávidas ganham ‘charreatas’ durante quarentena em Manaus

    O novo tipo de comemoração está comovendo gestantes pelo Brasil inteiro. Em Manaus, amigos e familiares de duas mamães de primeira viagem aderiram a ideia

    Mamães de primeira viagem se emocionaram com a homenagem
    Mamães de primeira viagem se emocionaram com a homenagem | Foto: Arquivo pessoal

    Manaus – A famosa “charreata”, uma junção de chá de bebê com uma passeata de veículos, é o novo tipo de comemoração que está comovendo gestantes pelo Brasil inteiro. Em um período de quarentena, a homenagem é feita de forma segura, garantindo o distanciamento social e alcançando seu objetivo: ser um evento onde a futura mãe recebe presentes para seu filho sem abrir mão dos cuidados de prevenção contra o coronavírus.

    Em Manaus, amigos e familiares de duas mamães de primeira viagem aderiram a ideia e compartilharam os momentos de pura emoção nas redes sociais. A jornalista Evelyn Souza, de 31 anos, foi surpreendida, no último sábado (2), com a chegada de carros decorados com balões e cartazes em frente da residência onde mora, no Conjunto Villar Câmara, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul da capital.

    Mamãe e papai do pequeno João Guilherme
    Mamãe e papai do pequeno João Guilherme | Foto: Arquivo pessoal

     “Na hora fiquei em estado de choque. Tanto que tive uma crise de gastrite nervosa. Fui descendo a garagem de casa e quando vi meu irmão, os carros enfileirados e as pessoas. Nossa, eu só sabia chorar! Foi algo incrível que fizeram pela gente nesse momento em que estamos distantes”, expressou a mãe do pequeno João Guilherme.

    A ação feita pelos amigos e o gesto de carinho que recebeu foi gratificante para a gestante, que devido a pandemia do novo coronavírus teve que cancelar os planejamentos para comemorar a chegada do pequeno João Guilherme.

    “No início do ano havíamos pensado em uma comemoração tradicional, porém com o passar do tempo e o avanço da doença em Manaus, nós decidimos que não seria o momento. O evento não é só para ganhar presentes ou fraldas, mas sim para recebermos essa troca de energia positiva e carinho das pessoas com a nossa família. Foi exatamente o que o meu João Guilherme recebeu com esse novo estilo de celebração”, ressaltou Evelyn.

    Veja como foi a 'charreata' da jornalista  

    Comemoração aconteceu no Conjunto Villar Câmara, bairro Aleixo | Autor: Arquivo pessoal
     

    O administrador Eduardo Santos, irmão da jornalista, foi um dos responsáveis pela organização da “charreata”. Ele explicou que a ideia surgiu após ver uma publicação no Instagram que apresentava o formato da comemoração.

    “Achei interessante o vídeo e compartilhei com a melhor amiga da Evelyn. Ela também gostou da sugestão e começamos a planejar com outros amigos e parentes. Foram duas semanas conversando até que conseguimos marcar uma data onde todos puderam participar. Deu tudo certo e foi incrível! Conseguimos reunir mais de 30 pessoas, que estavam divididas em, pelo menos, 18 carros”, explicou Eduardo.

    Gabriela Lira, a melhor amiga da jornalista, foi quem cuidou da singela ornamentação feita na calçada da casa de Evelyn. Ela também mobilizou as pessoas.

     “Somos um grupo de amigos muito presente e, sempre quando há alguma conquista, nós costumamos fazer festas para comemorar e agradecer as vitórias. Nesses dias, onde infelizmente não podemos estar juntos, estava sendo muito triste para todos nós. É o primeiro filho da Evelyn e não poder estar perto é muito complicado, mas conseguimos resolver de uma forma consciente.  Cada aceno e palmas era um gesto de abraço em nossa amiga”, disse Gabriela.

    Safári do Pedro

    O modelo de comemoração tem ganhado cada vez mais adeptos. O chá de fralda do pequeno Pedro estava programado para o dia 3 de abril. A festa teria o tema de safári, mas precisou ser cancelada por conta do isolamento social.

    “Tínhamos marcado o chá convencional, contratamos serviços, decoração, separamos o espaço e distribuímos os convites. Porém, a pandemia foi ficando cada vez pior e decidimos cancelar. Falamos para as pessoas e elas concordaram que seria melhor. Algumas amigas mais próximas perceberam que ficamos chateados por não vivermos juntas essa etapa da gravidez”, explicou a dentista Pollyanna Menezes, de 29 anos, grávida de 8 meses.

    Mamãe e papai do pequeno Pedro
    Mamãe e papai do pequeno Pedro | Foto: Arquivo pessoal

    Um mês depois, no último domingo (3), amigos da gestante realizaram uma surpresa. Também inspirados em comemorações feitas em outros estados, eles ornamentaram a entrada da casa da mãe de Pollyana, situada na rua Cremona, bairro Alvorada 1, Zona Centro-Oeste, colocaram bolo, presentes e passaram em carros pela via.

    “Foi a melhor coisa que podia acontecer nesse momento. Eu me senti muito amada. O Pedro foi muito sonhado, e ser gestante em um momento de pandemia não é fácil. Já passamos por situações difíceis. Até mesmo nos exames de ultrassom, o meu esposo não pôde entrar para ver o bebê. Isso tudo porque precisava evitar a aglomeração na sala”, contou a dentista.

    Veja como foi a 'charreata' de Pedro

    Evento aconteceu no bairro Alvorada 1, Zona Centro-Oeste | Autor: Arquivo pessoal
     

    A assistente administrativa Roberta Bemergui, de 29 anos, foi uma das amigas responsáveis pela organização. Ela comentou que o grupo se preocupou com a saúde dos participantes e, principalmente, da gestante.

    “No final, tudo deu certo! Nesse momento tão difícil, onde não podemos nos cumprimentar, a vontade era de abraçá-los, mas por conta da gravidez, tomamos todo cuidado. Usamos máscaras, cumprimos as medidas de prevenção e até os presentes foram higienizados antes de serem entregues. O que nos conforta é saber que Deus está na frente de tudo e que logo isso vai passar”, concluiu a amiga. 

    Comentários