Fonte: OpenWeather

    Turismo


    Agentes de viagens se unem para fortalecer serviços

    O intuito dos profissionais do ramo é divulgar o trabalho em conjunto, em prol da categoria para superar o período de crise econômica da pandemia

    Manaus - Com o turismo em baixa por conta da pandemia, os

    agentes de viagens em Manaus se reuniram com o intuito de divulgar

    a importância do trabalho feito por eles por meio das agências. Até agora, oito

    empresas estão no projeto e pretendem atuar na capital em caráter social e

    explicativo a fim de ajudar os profissionais e as famílias que vivem de

    turismo.

    Segundo a agente de viagem Márcia Souza, a representante do

    grupo, a origem da ação vem do  entusiasmo e engajamento de pessoas que não se

    conformam com a situação local vivida por eles neste momento. A ideia da equipe

    é promover de maneira educativa, campanhas que demonstrem as vantagens de

    contratar os serviços de turismo.

    Oito empresas aderiram ao projeto
    Oito empresas aderiram ao projeto | Foto: Divulgação

    “As pessoas buscam por preços baixos na internet, mas nem

    sempre o que encontram compensa. Muitas vezes a passagem área de fato é

    baratíssima, mas a quantidade de escalas feitas para chegar ao destino desejado

    é exaustiva. Além do mais, os agentes de viagens ficam disponíveis o tempo que for necessário para os clientes, diferente de compras on-line ou feitas sem

    orientação”, relatou Márcia.

    Benefícios da assessoria

    Os agentes

    participantes do grupo local acreditam que o turismo vai além da cultura, é a

    realização de um sonho. A representante Márcia Souza explicou ao EM TEMPO quais

    benefícios na contratação dos profissionais. Entre eles, a assessoria

    particular que evita trabalho na hora de pesquisar sobre o novo destino.

    “Somos capacitados para proporcionar experiências únicas. Estando

    sempre a postos para encontrar as melhores opções para os clientes. Assessorando

    desde a escolha do seu destino, no planejamento, dando informações e tirando

    dúvidas. Até o fechando da viagem e a pós-venda. O trabalho em si só termina

    quando o cliente retorna à cidade de origem. Trabalhamos com o sonho das pessoas”, explicou a agente de viagem.

    Voz do cliente

    A bacharel em Direito, Samira Magalhães prefere a segurança de comprar

    com os agentes de viagem. Casada e mãe, a mulher sempre preferiu comprar em agência,

    e de acordo com ela, as experiências foram ótimas. O segredo é buscar profissionais

    de confiança. Além da comodidade, para ela o maior benefício na contratação de

    agentes é a segurança.

    Samira Magalhães em uma viagem com esposo para Curitiba
    Samira Magalhães em uma viagem com esposo para Curitiba | Foto: Divulgação

    “Geralmente temos problemas com mudanças de vôos, e por meio

    da agência estamos mais seguros em relação às trocas e alterações. Já comprei

    diretamente com a companhia aérea usando a internet e tive alguns problemas. Precisei

    remarcar semana passada uma viagem. Até tentei ligar para a companhia e após quase uma

    hora aguardando o atendente, a ligação caiu. Ainda bem que a minha agente de

    viagem resolveu tudo e me encaixou no voo mais  curto e seguro”, disse a cliente.

    No Amazonas

    Em março através de videoconferência, presidentes e

    secretários estaduais de turismo e o ministro Marcelo Álvaro Antonio, reuniram-se

    para ajudar os trabalhadores do setor. Na oportunidade, o ministro assinou uma portaria

    com mudanças que facilitam o acesso a crédito para micros, pequenos e médios

    empresários  com dificuldades financeiras por conta da pandemia de

    coronavírus.

    Por meio do Fundo Geral de Turismo (Fungetur), os

    empreendedores devem ter acesso à medida que engloba: juros mais baixos,

    redução de 7% para 5%; mais tempo de carência no pagamento dos empréstimos, que

    aumentou de seis meses para 1 ano, e o adiamento dos pagamentos de empréstimos

    para as empresas que estão adimplentes. Os contratos vigentes, na fase inicial

    de carência, também terão um prazo maior para pagamento de até seis meses. 

    Confira dicas de prevenção ao coronavírus:

    Coronavirus

    >
    Comentários