Fonte: OpenWeather

    Inauguração


    Governo lança Base Arpão em resposta ao narcotráfico no AM

    Base possui capacidade para receber 60 agentes de segurança pública do Amazonas

    A base atenderá os municípios do Amazonas
    A base atenderá os municípios do Amazonas | Foto: Bianca Ribeiro

    Manaus – O Amazonas ganhou nesta terça-feira (4) a primeira base fluvial de combate ao narcotráfico, à pirataria e aos crimes ambientais. A Base Arpão irá atuar diretamente entre os municípios de Coari (a 363 quilômetros de Manaus) e Tefé (a 523 quilômetros da capital), desencadeando uma série de operações policiais na região.

    Veja como é a estrutura externa e interna da Base Arpão:

    O espaço é preparado para receber 60 agentes | Autor: Divulgação
     

    Participaram da solenidade o governador do Amazonas Wilson Lima, o secretário de segurança do Estado, Louismar Bonates e o coordenador-geral de Fronteiras da Secretaria de Operações Integradas, Eduardo Bettini. 

    Wilson Lima disse que esta é uma conquista para o Amazonas, pois por anos acompanha a realidade da segurança pública local.

    Wilson Lima falou das dificuldades no combate ao crime organizado no Amazonas
    Wilson Lima falou das dificuldades no combate ao crime organizado no Amazonas | Foto: Bruna Oliveira

    "A gente acompanha dificuldade que é fazer segurança pública. Cerca de 80% dos crimes que acontecem estão relacionadas ao tráfico de drogas. Estamos entregando uma resposta contundente aos crimes no Amazonas. Queremos dar segurança para quem mora do médio Solimões. É uma conquista inédita para o estado o Amazonas”, enfatizou durante coletiva. 

    Emoção e luto na polícia

    Louismar Bonates estava emocionado e comentou sobre a morte dos policiais na última segunda-feira (3) em confronto com traficantes, no município de Nova Olinda do Norte. O sargento Wagner e o cabo Souza, ambos eram lotados na Companhia de Operações Especiais (COE). A autoridade pediu um minuto de silêncio e afirmou que a polícia do Amazonas está de luto. 

    Bonates e Wilson Lima falaram sobre os policiais mortos em combate no interior do Amazonas
    Bonates e Wilson Lima falaram sobre os policiais mortos em combate no interior do Amazonas | Foto: Bruna Oliveira

    "Eles cumpriram uma parte do nosso juramento. Queremos dar um basta nessa questão do narcotráfico", pontuou. A base será um ponto de controle fluvial. As embarcações serão paradas e revistadas. 

    "Cumpriram de forma honrosa aguerrida. Lamentamos o que aconteceu. Daremos uma resposta dura sobre o que aconteceu. Determinei: só volte à Manaus com uma resposta efetiva do que aconteceu", também comentou Wilson Lima durante a coletiva. 

    Lanchas blindadas

    Quatro dos novos transportes estavam ancoradas durante a apresentação e uma lancha blindada já foi enviada para o reforço do efetivo policial no município de Nova Olinda do Norte, onde os policiais foram mortos durante o confronto. 

    O lançamento ocorreu nesta manhã de terça-feira (4) no município de Iranduba
    O lançamento ocorreu nesta manhã de terça-feira (4) no município de Iranduba | Foto: Diego Peres-Secom

    Torres de comunicação

    Será instalada a primeira torre de comunicação com rádios móveis e portáteis em Iranduba. Serão instalados também nos municípios de Parintins, Tefé, Coari, Tabatinga e Santo Antônio de Içá. Ao todo, foram investidos R$ 13 milhões. 

    Bettini mencionou o alto investimento no projeto que ajudarão em operações contra o narcotráfico e contrabando no Amazonas. Com o investimento de R$ 17 milhões por parte do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a medida integra as ações do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia). 

    O Programa Vigia faz parte dos projetos estratégicos do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A Operação Hórus é um dos eixos do programa, que atua permanentemente no Amazonas desde novembro de 2019. 

    “Já podemos testar as lanchas blindadas nos rios Amazonas e não há como não se emocionar. Custou e vai custar valores consideráveis, mas de alta relevância mundial, por conta do mercado internacional das drogas. Estamos trabalhando entre o governo estadual e federal”, declarou. 

    A Base Arpão vai reunir efetivos da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), além de médicos, dentistas, enfermeiros e outros agentes de segurança.

    Leia mais: 

    Segurança nas fronteiras terá reforço com a Base Arpão no rio Solimões

    'Responderemos à altura' diz Campêlo sobre policiais mortos em confronto no AM

    'Só voltem com respostas' ordena Wilson Lima sobre mortes dos PMs


    Comentários