Fonte: OpenWeather

    Nota da Seduc


    Seduc esclarece que professora de escola pública não morreu de Covid

    As informações que circulavam nas redes sociais eram falsas, segundo a Seduc, a professora faleceu após grave complicação nos pulmões

    A Seduc esclareceu o caso
    A Seduc esclareceu o caso | Foto: Reprodução

    Manaus – A Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) emitiu nota nesta sexta-feira (21) sobre a morte da professora da rede pública estadual, Leila Guerra Soares, que ministrava aulas na Escola Estadual Sebastião Augusto Loureiro Filho, localizada na avenida Curaçao, na Zona Norte. Segundo o documento, a professora não morreu por Covid-19, mas por complicações de uma pneumonia bacteriana.

    O esclarecimento ocorreu após publicações em redes sociais e em outros sites e portais no Amazonas. “A servidora da Secretaria de Educação veio a óbito após complicações de uma pneumonia bacteriana, conforme o laudo médico enviado pela família à pasta”, informou a nota.

    Ainda segundo publicações, a professora teria participado da Jornada Pedagógica do Ensino Médio, promovida pela a Secretaria de Educação na semana antes da volta às aulas presenciais. A Seduc nega o fato.

    “Leila era professora de Ciências do Ensino Fundamental e precisou ser internada, em situação de emergência, no Hospital Rio Negro. Na unidade de saúde, foi constatado que a educadora havia contraído pneumonia bacteriana. Durante a internação, Leila foi testada mais de uma vez para Covid-19, e todos os resultados deram negativo. Dias depois de dar entrada no hospital, a professora precisou ser entubada e, após a detecção de uma hemorragia pulmonar, veio a óbito na quinta-feira (20). Ela havia dado entrada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no dia 12 de agosto”, explicou a assessoria sobre o estado de saúde da educadora.

    A nota, informa ainda, que Leila estava afastada da escola desde o início da suspensão das aulas presenciais e, em julho, sofreu um derrame ocular.

    “A Secretaria de Educação se solidariza com a família e amigos de Leila e lamenta esta perda irreparável, confiando que Deus conforte seus corações e dê forças para transformar toda dor em fé e esperança, e pede, também, que seja respeitado o período de luto dos entes próximos à educadora. A Secretaria de Educação repudia todas as informações falsas espalhadas por meio de mensagens de aplicativo e redes sociais a respeito dos seus princípios e ética trabalhista como servidora da secretaria”, confirmou em repúdio às falsas informações e demonstrou solidariedade com os familiares.

    Leia mais:

    Escolas realizam medidas de higienização para volta às aulas

    Professora é destaque por desenvolver guia sobre trabalho infantil

    Universidades desenvolvem drones para protegerem as florestas

    Comentários