Fonte: OpenWeather

    Templo catolicista


    Conheça a história da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, em Manaus

    Igreja passou por diversas modificações ao longo dos anos, chegando até a ser a matriz provisória de Manaus

    Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, popularmente conhecida como Igreja dos Remédios | Foto: Divulgação/ Arquidiocese

    Manaus - A Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, popularmente conhecida como Igreja dos Remédios, é uma dos templos mais conhecidas de Manaus. Localizada na rua Leovegildo Coelho, bairro Centro, Zona Sul de Manaus. Ela foi fundada em 1818 com dinheiro de impostos atribuídos à população pelo Major Manoel Joaquim. Quando estava parcialmente construída, em 1821, a população se revoltou contra o governador e depredou o local, que só foi reaberto no ano seguinte.

    Em 1850, a igreja passou a ser a Matriz provisória do catolicismo em Manaus, após um incêndio atingir a Catedral Nossa Senhora da Conceição, e ficou assim durante sete anos. No século XIX, a igreja passou por diversas reformas a começar em 1857, quando o presidente da província, João Pedro Dias Vieira, anunciou a construção de uma torre na Igreja, mas o período de chuvas impossibilitou a finalização dos serviços de reboco.

    Em 1850, a igreja passou a ser a Matriz provisória do catolicismo em Manaus
    Em 1850, a igreja passou a ser a Matriz provisória do catolicismo em Manaus | Foto: WEBTV EM TEMPO

    “Ela vem com os portugueses e no início era uma pequena capela, acho que no fim da igreja que dá para Rua dos Andradas. Uma das histórias que contam, era que os portugueses saíam para ir vender mantimentos, alimentos, aos ribeirinhos e quando eles voltavam o sino tocava, e sua família se juntava para ir para aí encontrar os pais que estavam voltando do interior”, conta o padre Marcos Cleto, pároco da igreja.

    Padre Marcos conta histórias sobre a igreja
    Padre Marcos conta histórias sobre a igreja | Foto: WebTV Em Tempo

    Em 1878, foi elevada à categoria de paróquia. O projeto das obras iniciadas em 1901, que deixaram a igreja com a estrutura que tem hoje, foi assinado pelo arquiteto italiano Filintho Santoro e registros informam que durou três anos. A cerimônia oficial de instalação ocorreu em dezembro de 1905, dois meses depois do fim das reformas, e teve como primeiro vigário da paróquia o padre Raimundo Amâncio de Miranda. A data dedicada à Santa é o dia 8 de setembro, quando ocorre uma procissão.

    “Com a chegada dos libaneses e sírio-libaneses, começou a devoção à Nossa Senhora do Líbano, que também tem um altar na igreja. Cada altar, foi uma promessa, ou um pedido, e tem sua determinada estrutura e história. Uma das imagens mais antigas que temos aqui é a da Imaculada Conceição. Quando a Catedral pegou fogo, em 1850, a imagem ficou aqui”, explicou o padre Marcos.

    A imigração árabe ganhou força no início do século XX. Foi marcada por superações e conquistas do povo libanês, que tem devoção intensa à Nossa Senhora, mesmo após gerações. Como é o caso da família Seffair, que migrou para Manacapuru em 1924, em busca de melhores condições de vida, e depois chegaram à Manaus.

    “Eu tinha cinco irmãos, dois libaneses e outros três nascidos em Manacapuru. Meu pai abriu um comércio lá, estava muito bem. A minha mãe teve um pouco de dificuldade, porque não sabia falar português, mas ela se adaptou bem depois. O povo ficou muito feliz com a chegada da Nossa Senhora do Líbano na igreja. Toda quarta-feira tinha a novena e aos primeiros domingos de maio uma missa, depois almoçávamos na casa de uma das famílias libanesas”, explica Alice Seffair, filha mais nova da família.

    A igreja foi declarada patrimônio inamovível em 1941, por meio de um decreto assinado pelo então bispo diocesano do Amazonas, Dom João da Mata de Andrade e Amaral, no dia 12 de dezembro daquele ano. Em 1988 foi tombada como Monumento Histórico do Amazonas, pelo decreto 11.037, durante a administração de Amazonino Mendes.

    A igreja possui diversos altares a santos
    A igreja possui diversos altares a santos | Foto: WebTV Em Tempo

    A Praça dos Remédios, localizada na frente da paróquia, foi construída em 1899 e durante os anos passou por diversas intervenções. Inúmeras modificações em seu traçado e imobiliário urbano originais. O projeto de revitalização baseou-se nos registros iconográficos datados no início da década de 1910, seguindo a iconografia mais antiga, com traçado imobiliário. O calçamento ganhou calcário português branco e detalhes importantes no monumento ao Cristo Rei, datado de 2 de junho de 1945, no canteiro circular central, com iluminação especial.

    A Praça dos Remédios é privilegiada por estar localizada em frente ao Rio Negro, o que deveria lhe conferir grande número de visitações. No entanto, uma série de fatores como limpeza, estrutura e principalmente segurança, impede que isso aconteça.

    Veja a matéria completa da WEB TV EM TEMPO na série do Amazonpedia:

    Leia mais

    'Que morram', diz padre para quem não frequenta a igreja na pandemia

    Arquidiocese de Manaus se posiciona sobre últimos acontecimentos no AM

    Conheça os lugares tombados em Manaus no Dia do Patrimônio Histórico

    Comentários