Fonte: OpenWeather

    Outubro Rosa


    AM é o estado com mais casos incidentes de câncer de colo do útero

    Dados alarmantes reforçam cuidados preventivos. Segundo oncologista, a atividade sexual precoce pode ser um dos fatores que explique maior ocorrência

    O Inca estima 580 novos casos de câncer de colo do útero só neste ano no Amazonas
    O Inca estima 580 novos casos de câncer de colo do útero só neste ano no Amazonas | Foto: Lucas Silva

    Manaus –  Há 30 anos, o Outubro Rosa é um projeto de prevenção mundial contra o câncer de colo do útero e o de mama. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se 580 novos casos de câncer de colo do útero e 450 novos casos de mama só neste ano no Amazonas. Em 2019, mais de 103 mil mulheres realizaram exames ginecológicos e mais 177 mil a mamografia em Manaus. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa).

    Os números contam histórias de mulheres reais, como a da autônoma, Maria Nadir Lima, de 54 anos. Há três anos, ela descobriu um caroço no seio, enquanto estava sentada em sua casa. Achou estranho e procurou uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Um mês depois, conseguiu vaga e foi encaminhada ao mastologista pela ginecologista que a atendeu. Ocorreu o que mais temia: receber o diagnóstico de câncer de mama.

    “Todos os anos eu fazia os exames para prevenir qualquer tipo de câncer. Em janeiro do mesmo ano, já tinha ido ao médico. Como tenho casos da doença na família, deveria fazer o check-up a cada seis meses, mas eu não sabia”, declara.

    Para certificar se era mesmo câncer, ela fez a mamografia e a ultrassonografia. Depois foi encaminhada à Fundação Centro de Controle de Oncologia (FCecon), fez a biopsia e descobriu que o nódulo era maligno. “Como estava pequeno, fiz uma cirurgia retirando a mama direita. Também realizei 15 sessões de quimioterapia e 25 da radioterapia. Passei a ir à oncologista a cada dois meses e depois a cada três meses. Fiz mamografia e ultrassom neste ano, mas agora só ano que vem por conta da pandemia”, conta Maria Nadir sobre o seu tratamento.

    Hoje ela não sente nada e procura viver uma vida normal. Porém, o sucesso do seu tratamento deu certo por conta do diagnóstico precoce. “A gente precisa fazer a nossa parte, se cuidar. Antes de sentir qualquer coisa, temos que procurar fazer exames anualmente. No meu caso, deveria ter feito a cada seis meses. A mensagem que eu deixo é que o câncer não é o fim. ”

    Luta mundial

    Há 30 anos, a Corrida pela Cura em Nova York, nos Estados Unidos, marcou o início da luta contra o câncer no mundo. Mas só em 1997, foi escolhido o mês de outubro como a ênfase da campanha anual.

    Apesar de a luta ser antiga, o preconceito ainda continua. Segundo o oncologista clínico, William Fuzita, algumas mulheres ainda acham que se fizerem o exame vai encontrar algo e, por isso, decidem não fazer. “Quanto mais tardio a mulher faz o exame, mais difícil será o tratamento e a sua recuperação. As mulheres acima dos 45 anos precisam fazer os exames de rastreio contra o câncer de mama, como a ultrassonografia e a mamografia. Para a prevenção do câncer de colo de útero, temos o exame de Papanicolau, para quem já iniciou uma vida sexual, e a vacina do HPV para adolescentes”, alerta.

    Existem dois tipos de cânceres: as com mutações germinativas, passadas por gerações, ou as mutações somáticas
    Existem dois tipos de cânceres: as com mutações germinativas, passadas por gerações, ou as mutações somáticas | Foto: Divulgação/Agência Brasil

    Tipos de exames

    O oncologista explica que o câncer pode ser descoberto de diversas maneiras. A ultrassonografia de mama e a mamografia, por exemplo, são ideais para mulheres de 45 anos em diante. “Com o diagnóstico precoce, é mais fácil obter a cura. O autoexame consegue identificar nódulos acima de 1 centímetro. Já no ultrassom, as lesões podem ser visualizadas menores, em milímetros”, diferencia.

    "

    A incidência de câncer uterino é resultado do início da atividade sexual precoce, a falta de utilizar o preservativo por conta do vírus HPV e a promiscuidade. Segundo a OMS, acima de três parceiros por ano, já é considerado promiscuidade. "

    ressalta o oncologista clínico, William Fuzita, sobre os dados alarmantes no Amazonas

    A ressonância magnética pode ser uma opção para exames em mulheres mais jovens, mais ainda com quem tem um histórico familiar. No entanto, é indicada para todas as faixas etárias, pois pode dar um veredicto final, tirando dúvidas que outros exames não conseguem. 

    Em 2019, mais de 103 mil mulheres realizaram exames ginecológicos e mais 177 mil a mamografia em Manaus
    Em 2019, mais de 103 mil mulheres realizaram exames ginecológicos e mais 177 mil a mamografia em Manaus | Foto: Divulgação/FCecon

    Procedimento específico

    De acordo com o especialista em oncologia, o tratamento contra o câncer é complexo e individual. Cada nódulo, mesmo sendo câncer, pode existir diferentes variações. Existem dois tipos de cânceres: as com mutações germinativas, passadas por gerações, ou as mutações somáticas, que ocorrem diante dos péssimos hábitos de vida.

    A duração do tratamento depende da idade da paciente, características moleculares e genéticas do tumor, entre outros fatores. Pode durar três meses ou por um período maior. Ao ser identificado um nódulo, é preciso fazer a biópsia para que essa célula seja analisada em microscópio.

    Atendimento oferecido pelo município

    A prevenção é o melhor meio para combater a doença. Para realizar exames periódicos, a Secretária de Estado de Saúde (SES-AM) oferece atendimento de prevenção do Câncer de Mama e do Colo do Útero em todas as Unidades de Saúde em Manaus. Para saber a unidade mais próxima da sua casa, clique aqui.

    Tratamento gratuito

    Segundo a assessoria da SES-AM, a Fundação Centro de Controle de Oncologia (FCecon) é referência no Estado para o tratamento de câncer. Quando a paciente recebe o diagnóstico para qualquer tipo de câncer, é encaminhada ao FCecon para o processo clínico sem nenhum tipo de custo.

    Só neste ano, de janeiro a agosto, o serviço de Mastologia da Fcecon realizou 2.294 consultas. O FCecon atende quem já teve o diagnóstico confirmado. Caso conheça alguém que necessite de tratamento, a FCecon lançou uma cartilha com o passo a passo para dar início na unidade hospitalar e explica todo o procedimento. 


    Leia mais:

    Pandemia pode atrasar tratamento de câncer de mama

    Governo do AM ilumina Teatro Amazonas em lançamento do Outubro Rosa

    FCecon terá apoio do Estado no atendimento de pacientes pré-câncer

    Comentários