Fonte: OpenWeather

    Imunização à covid-19


    CoronaVac: ‘Manaus está disposta a comprar’, ressalta Arthur Neto

    O presidente Bolsonaro interferiu na compra da vacina CoronaVac. Questionado sobre a decisão, o prefeito de Manaus reafirmou intenção de adquirir doses da fórmula

    Questionado sobre a vacina negociada pelo Ministério da Saúde, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, se mostrou favorável à compra
    Questionado sobre a vacina negociada pelo Ministério da Saúde, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, se mostrou favorável à compra | Foto: Alex Pazuello/Semcom

    Manaus – O prefeito Arthur Neto (PSDB), durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (21), comentou o mais recente posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a intenção de não comprar a fórmula desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan contra Covid-19, a vacina CoronaVac.

    O Ministério da Saúde assinou, na terça-feira (20), a intenção de adquirir 46 milhões de doses da CoronaVac. Entretanto, o presidente interferiu e desautorizou o ministro Eduardo Pazzuelo fazer a compra.

    "Diante do exposto, minha decisão é a de não adquirir a referida vacina. O povo brasileiro não será cobaia de ninguém. Não se justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem’’, publicou Bolsonaro nas redes sociais.

    Ao ser questionado em relação à compra da vacina, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, criticou a postura do presidente e reafirmou o interesse em adquirir as doses

    "Manaus está disposta a comprar. Irei entrar em contato com o governador Doria, se for preciso, e vou pedir que eles nos cedam, nos vendam ou nos facilitem com os canais que podem proporcionar essa compra’’, afirmou Arthur Neto.

    O prefeito citou, ainda, a confiança em outra vacina, produzida por Oxford e pelo laboratório AstraZeneca. Apesar da morte de um voluntário, que testava a vacina no Brasil, os estudos com a fórmula permanecem e ela deve ser disponibilizada a partir de 2021.

    ‘’A China não iria, irresponsavelmente, lançar uma vacina que fizesse mal. Essa história de vacina do PT, vacina do Dória, não importa, pode ser vacina de onde for, desde que haja comprovação científica e que evite a perda de mais vidas’’, completou o prefeito de Manaus em resposta aos comentários de Bolsonaro, que intitulou a fórmula como ‘’vacina chinesa do Dória’’.

    Apesar das afirmações do presidente pelas redes sociais, que indicam que a vacina CoronaVac não passou da fase de testes e que a população brasileira seria ''cobaia'' e, por consequência, não haveria comprovação científica, a compra só pode ser realizada após o imunizante receber um registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), onde todos os procedimentos comprovatórios são exigidos. 

    ‘’Nessa hora, tenho que criticá-lo [presidente Jair Bolsonaro]. Ele tem cometido muitos acertos e também tem cometido muitos erros, e esse é um erro. Poderíamos ter perdido menos vidas, se o presidente, desde o começo [da pandemia],  tivesse tomado uma atitude de liderança'', concluiu o prefeito.

    Leia mais: 

    Brasil não tem intenção de comprar vacina chinesa, diz Elcio Franco

    Bolsonaro diz que governo federal não comprará vacina CoronaVac

    Vacinação é prevista para o final do 1º semestre de 2021, diz Anvisa

    Comentários