Fonte: OpenWeather

    Decreto Governamental


    Academias e transporte fluviais estão restritos para conter Covid-19

    A medidas do governo estão sendo tomadas para impedir o avanço da pandemia de Covid-19

     

    Será a segunda paralisação das atividades do transporte fluvial, desde o início da pandemia
    Será a segunda paralisação das atividades do transporte fluvial, desde o início da pandemia | Foto: Clóvis Miranda/DPE-AM

    Manaus - O Governo do Amazonas, por meio de uma minuta, divulgou informações sobre novas restrições de atividades para conter o avanço da pandemia da Covid-19, que está no segundo pico. Entre as medidas está a paralisação do transporte fluvial no estado e o fechamento das academias, colocadas como atividades essenciais no decreto anterior.

    A prévia é referente ao decreto nº 43.277, de 12 de outubro de 2021, que altera o decreto n° 43.234 de 23 de dezembro de 2020. Com a inclusão de incisos que dispõem de novas medidas de enfrentamento da pandemia do coronavírus. O governo já oficializou o ato público, por meio da Secretaria de Comunicação, e aguarda que a Casa Civil envie o documento para a Imprensa Oficial. A publicação deve ocorrer  nesta quarta-feira (13). O material é uma prévia do decreto e ainda pode sofrer alterações. 

    O que muda?

    O documento informa que serão expressamente proibidas as práticas de atividades em academias, centros de ginástica e estabelecimentos similares, de acordo com inciso XI. O objetivo de fechar esses locais é controlar o aumento de casos, uma vez que as academias reúnem várias pessoas em um ambiente fechado.

    O gestor da academia Way Fitness, Marcelo Marques, de 36 anos, falou com exclusividade ao Portal em Tempo  sobre o decreto e os impactos dele nas academias. 

    "Nós ficamos divididos, é importante que as pessoas se distanciem e se cuidem. Por outro lado, a prática da atividade física é essencial, principalmente para a imunidade. Fomos pegos de surpresa pela minuta do governo. Na primeira fase, quando fechamos, fomos extremamente prejudicados, mas esperamos que as pessoas continuem as atividades dentro de suas casas." relatou Marcelo. 

    Transporte fluvial

    Também será suspenso o tráfego de transportes fluvial e terrestre intermunicipal. Sendo permitindo apenas, o transporte de cargas. A Defensoria  Pública do Estado (DEP) já havia recomendado que o estado suspendesse o transporte de passageiros por meio fluvial e terrestre, entre os municípios. O pedido foi protocolado na última sexta-feira (8), como forma de tentar conter o avanço da pandemia. 

    Em março de 2020, o transporte fluvial foi suspenso, e voltou a funcionar em julho do mesmo ano, sob condições de prevenção, como poder navegar apenas com 60% da capacidade. O  funcionamento de  marinas, para fins de lazer, como balneários, também serão restringidas à população. 

    As medidas estão sendo adotadas após o estado registrar uma alta nos casos de infecção pela Covid-19, não apenas na capital, mas em vários municípios do interior. Até esta terça-feira (12), o Amazonas registrou 218.070 casos da doença no estado desde o início da pandemia. São 5.810 mortes no total.

    O decreto ainda prevê no artigo XXVIII o funcionamento autorizado de empresas de segurança privada, por serem reconhecidas como um serviço essencial. 

    Leia mais: 

    Decreto suspende transporte fluvial no AM e manda fechar academias 

    Nova variante do coronavírus é confirmada no Amazonas 

    Hospitais de Manaus começam a receber oferta de oxigênio 

    Comentários