Fonte: OpenWeather

    Ação


    Caminhões com oxigênio que passaram pela BR-319 chegam a Manaus

    Seis veículos saíram de Porto Velho; viagem durou quatro dias por conta do atoleiro na Br-319

    Quatro dias após saírem de Porto Velho (RO) com 160 mil metros cúbicos de oxigênio destinados pelo Ministério da Saúde para suprir demanda da rede hospitalar de Manaus (AM), um comboio com seis carretas chegou à capital do Amazonas, no Porto da Ceasa, no início da tarde deste domingo (24). O comboio foi acompanhado por uma equipe e máquinas do Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (DNIT) - órgão do Ministério da Infraestrutura. Uma das carretas, a sétima, sofreu danos durante o caminho e só chegará a Manaus à noite..

    As carretas saíram na última quarta-feira (20) de Porto Velho e levaram mais de três dias para cruzar os quase 900 quilômetros do trecho da BR-319, única ligação rodoviária com a capital amazonense, mas que não é pavimentada e possui diversos trechos com atoleiros no período chuvoso.

    A operação foi realizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ainda de acordo com ministério, Uma das carretas, a sétima, sofreu danos durante o caminho e só chegará a Manaus à noite.

    “Na primeira etapa da operação para transportar 160 mil m³ de oxigênio para Manaus, os comboios percorreram o trajeto de 877 quilômetros e contaram com o apoio das equipes de manutenção do Dnit para atravessar trechos não pavimentados da BR-319”, informou o comunicado.

    A pasta destacou que a rota emergencial foi criada em alternativa às balsas da hidrovia do Rio Madeira e do Rio Amazonas, reduzindo em dias a chegada do material à capital amazonense. Ao todo, sete carretas com oxigênio passaram pela BR-319.

    A chegada dos 160.000m³ alivia, mas não resolve em definitivo o problema do abastecimento da rede hospitalar. É necessário conter os níveis de contágio por Covid-19, reduzindo as internações para que o consumo possa ir, gradativamente, voltando aos níveis anteriores.

    A equipe da pasta, instalada em Manaus, está atuando neste sentido, como apoio ao governo do Estado. Hospitais e Unidades de Saúde estão recebendo o reforço de usinas de oxigênio que estão sendo montadas no Amazonas. Sete delas requisitadas pelo Ministério da Saúde de empresas brasileiras produtoras do gás e outras cinco doadas pelo Hospital Sírio Libanês, destinadas ao interior do Estado

    *Com informações da assessoria

    Comentários