Fonte: OpenWeather

    XENOFOBIA


    Após xenofobia contra amazonenses, grupo posta vídeo de desculpas

    Primeiro vídeo considerado ofensivo tinha frases como "vão virar índios, vão aprender tupi e caçar sucuri". Repercussão foi negativa nas redes sociais

    Vídeo foi publicado no perfil @Manausmemes | Foto: Divulgação

    Manaus - Um vídeo repleto de esteriótipos em relação ao Amazonas circulou nas redes sociais esta semana. Na gravação, um grupo de jovens de fora do Estado canta uma paródia da música Ana Julia, da banda Los Hermanos. A nova letra, escrita por eles, havia sido pensada como 'homenagem' a um casal de amigos que se mudou para Manaus. Após internautas apontarem trechos xenofóbicos, os colegas se pronunciaram.

    No novo vídeo, divulgado neste sábado (27), os mesmos amigos aparecem cabisbaixos, sentados em um sofá. Todos usam máscara, diferente da primeira gravação, onde eles apareciam em clima de festa, sem o equipamento de proteção.

    "Olá, pessoal, esse é um vídeo de retratação pública em função de uma paródia que nós fizemos, uma paródia por sinal muito infeliz, que tomou uma proporção que a gente não imaginava, e que nem era nossa intenção ofender as pessoas no estado do Amazonas, e de outras regiões que se simpatizam pelas pessoas do estado. Nós temos um respeito enorme pela cultura de vocês, vocês representam de uma maneira muito importante o nosso país, e a gente vem aqui pedir desculpas publicamente pelo vídeo que nós fizemos", diz um rapaz de boné, camisa e máscara pretas. Ele não se identificou.

    Em seguida, com o mesmo tom de arrependimento, uma moça de óculos e máscara branca segue com o pedido de desculpas.

    "Esse vídeo foi feito para a despedida de um casal amigo nosso, nós estávamos muito felizes de estarem tendo uma nova oportunidade aí no estado de vocês, então em momento algum quisemos que esse vídeo ofendesse alguém, por isso, novamente, viemos aqui pedir desculpas pela situação", diz a jovem. 

    Veja a retratação:


    Gravação xenofóbica

    O primeiro vídeo foi publicado no Tik Tok e em seguida alcançou o Facebook e Twitter através de páginas de memes manauaras. A repercussão foi enorme.  No Twitter, por exemplo, até a manhã deste domingo (28), a publicação contava com 861 curtidas e 969 comentários. "Esse grupinho de amigos na rede social vizinha quis fazer uma 'paródia' pra amiga que ia morar em Manaus, mas esqueceu de  estudar um pouco antes", diz o post. 

    Em quase dois minutos, os jovens cantam trechos como "Ter que ver você partir pro Amazonas, agora vocês vão ter que andar de barco ou canoa, vão passar muito calor, porque lá não chove", e "vão virar índios, vão aprender tupi e caçar sucuri".

    Estas frases foram as que mais chamaram a atenção dos amazonenses, por retratarem total desconhecimento sobre o clima do estado.

    O Amazonas possui duas estações anuais, o período de chuvas e o verão. Só em 2020, segundo o Instituto de Meteorologia, não só choveu, como o fenômeno ultrapassou a média prevista em quase todos os meses do ano, com exceção de fevereiro, julho e agosto.

    Sobre o calor, diferente do informado no vídeo, as temperaturas podem alcançar facilmente os 35 °C no período mais quente. A sensação térmica ultrapassa a casa dos 40 °C. 

    Confira o vídeo completo:


    Amazonenses consideraram vídeo ofensivo

    Embora aleguem não ter tido a intenção de ofender, foi o que os jovens causaram em muitos amazonenses que se expressaram pelas redes sociais. Com tom de revolta, alguns perfis reclamaram sobre a xenofobia contra a região Norte e o Amazonas. O termo é utilizado para definir preconceito contra pessoas 'estrangeiras', de outras localidades ou com culturas e hábitos diferentes.

    "Era só pesquisar cinco minutos no Google, mano. [Ou] em um livro de geografia! Qualquer lugar com fatos, pra ver se aprendiam alguma coisa. Olha, pelo amor é muita ignorância e racismo em uma música só", escreveu uma usuária manauara do Twitter.

    O vídeo pegou mal até mesmo em moradores de outros estados da região Norte. Um rapaz que morava em Vitória (ES) e se mudou para Belém (PA) disse que sofreu com as mesmas 'piadas' de cunho ofensivo.

    "Quando eu vim pra Belém foi bem assim mesmo, tinha gente que falava brincando, mas tinha gente que jurava que aqui eu ia levar flechada de índio no meio da rua", lembrou o jovem, também no Twitter.

    O Em Tempo tentou contato com os integrantes do vídeo, mas até o fechamento desta reportagem, não obteve retorno. O perfil @JosianeAndrade27, que havia postado o vídeo inicialmente no Tik Tok, já não pode mais ser encontrado na rede social. 

    Leia mais:

    A expressão 'variante amazonense' e o perigo do preconceito

    Zona Franca de Manaus completa 54 anos sob constante ameaça

    Comentários