Fonte: OpenWeather

    Efeitos da pandemia


    Mesmo com pandemia, tratamentos oncológicos no AM continuam

    Números de cirurgias oncológicas diminuíram no período da pandemia, mas não interrompidas. 754 pacientes oncológicos foram diagnosticados com Covid-19

    Em Manaus, os tratamentos contra a doença não pararam, mas sofreram impactos por conta da pandemia | Foto: Divulgação

    MANAUS - Mesmo diante de uma pandemia, a vida pede passagem e não se pode esperar. As doenças comuns entre os seres humanos como o câncer continuam existindo e apesar das autoridades estarem focadas no combate ao novo coronavírus, é preciso continuar com o tratamento de pacientes oncológicos. Em Manaus, os tratamentos contra a doença não pararam, mas sofreram impactos por conta da pandemia.

    Durante março de 2020 e fevereiro de 2021, foram realizadas 2,9 mil cirurgias oncológicas na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), 1.256 a menos que o mesmo período, compreendido entre os anos de 2019 e 2020, que registrou 4.156.

    A pandemia da Covid-19, em seus momentos de pico, fez com que alguns serviços eletivos fossem suspensos temporariamente, tendo em vista a segurança hospitalar para os pacientes e profissionais de saúde. Nos momentos de pico da Covid-19, a FCecon necessitou suspender alguns exames, como os exames endoscópicos, cirurgias eletivas de casos que poderiam aguardar por um determinado período e as conizações (procedimentos cirúrgicos de pacientes com lesões precursoras de câncer de colo do útero). Também foram suspensos os atendimentos odontológicos, exceto dos pacientes que necessitavam realizar este tratamento em função da radioterapia e quimioterapia.

    Uma dessas pessoas que teve a cirurgia interrompida por influência da pandemia da Covid-19 foi o pastor Marcos Aurélio. Ele tinha uma cirurgia marcada no dia 14 de janeiro, dia em que Manaus teve o momento mais crítico da falta de oxigênio em toda a cidade. “Eu cheguei a me preparar, fui para o Fcecon e chegaram a me dopar. Duas horas depois, eu acordei e fui informado de que não havia oxigênio suficiente para a cirurgia, que tinha a previsão de cinco horas de duração”, lembra.

     

    Marcos Aurélio precisou realizar uma cirurgia oncológico durante a pandemia
    Marcos Aurélio precisou realizar uma cirurgia oncológico durante a pandemia | Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

    Além da situação do oxigênio, Marcos Aurélio teve sua cirurgia adiada mais uma vez. Ele é um dos 754 pacientes que contraíram o vírus durante o tratamento oncológico. “Eu estava me preparando para uma cirurgia em março, mas fiz o teste e foi diagnosticado que eu estava com a Covid-19”.

    Com a postergação de parte do tratamento, Marcos Aurélio utiliza parte do seu tempo para conscientizar pessoas sobre o câncer. “Eu uso muito minhas redes sociais com esse propósito. Além disso, montei um projeto dentro da igreja que leva conforto espiritual e psicológico para pessoas com câncer em Manaus”.

     

    Marcos Aurélio e a esposa prestam apoio à família de pessoas com câncer
    Marcos Aurélio e a esposa prestam apoio à família de pessoas com câncer | Foto: Divulgação

    Assim como Marcos Aurélio, outras pessoas tiveram o tratamento afetado pela pandemia. O músico Ronildo Aguilar teve seu tratamento com remédios intravenosos alterado pela falta de medicamentos. “Tenho seis sessões de quimioterapia indicadas pelo médico. Uma delas teve de ser adiada por conta da falta de medicamentos em janeiro”, conta ele.

    Questionada pela nossa equipe de reportagem, a Fcecon informou que em relação ao medicamento oxaliplatina, utilizado para o tratamento do músico, o mesmo esteve em falta no mês de janeiro de 2021 porque houve atraso na produção nacional, em função da pandemia da Covid-19, mas já se encontra em estoque na Fundação Cecon.

    Esperança em meio às dificuldades 

    Ronildo contraiu o câncer pela primeira vez durante a pandemia da covid-19. Apesar disso, ele segue firme e forte no tratamento. “No começo fiquei muito abalado psicologicamente. Sentia falta de apetite e cheguei a me isolar. Minha família tem me ajudado muito”, destaca ele

     

    O músico Ronildo Aguilar está nos últimos dias de tratamento para o câncer. Ele não contraiu o vírus durante o tratamento
    O músico Ronildo Aguilar está nos últimos dias de tratamento para o câncer. Ele não contraiu o vírus durante o tratamento | Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

    O músico fez amizades no tratamento. Aridelson dos Santos é um exemplo de superação. Aos 65 anos ele enfrenta o segundo câncer. “Hoje eu uso uma bolsa de colostomia, pois tiraram 20 centímetros do meu estômago. Mas sigo firme e forte, com a esperança de dias melhores”. 

    Leia mais

    Mortes por doenças cardiovasculares em Manaus sobem na pandemia

    ‘Quando avisaram que o oxigênio ia acabar, o silêncio reinou na UTI’

    Hemoam tem queda nas doações e convoca doadores em Manaus

    Comentários