Fonte: OpenWeather

    Cidadania


    Movimento arrecada cestas para crianças e adolescentes em Manaus

    Primeira ação de grupo em Manaus será ajudar abrigo de assistência à criança e à adolescente grávida. Veja como ajudar:

    | Foto: Reprodução/Deposit Photos

    MANAUS - Um estudo global mostra que o Brasil está em terceiro lugar no ranking dos países em que as mulheres mais têm medo de lutar a favor da igualdade e liberdade, correspondendo a 41% das mulheres.  Índia lidera a lista com 54% e Turquia é segunda colocada com 47%.

    Os dados mostram que as mulheres não têm voz em uma sociedade patriarcal como é a brasileira, principalmente a problemas relacionado ao gênero. Pensando nisso, um grupo de meninas e mulheres decidiu formar um movimento chamado Girl Up Manaus, que acompanha um movimento já iniciado nacionalmente, o Girl Up Brasil. 

    Na capital, o movimento é composto por 49 pessoas, na maioria por meninas e mulheres com idades a partir de 14 anos. “O movimento feminista tem o objetivo de integrar todos os gêneros, sem separação, por isso recebemos meninos no nosso grupo que apoiam esta causa”, conta Maria Fernanda Neves, participante do projeto.

    Arrecadação

    Com a união de um grupo, o projeto busca agora arrecadar cestas básicas para a associação de assistência à criança e à adolescente grávida Nacer. “Fizemos um estudo em Manaus e vimos que esta associação em regime de abrigo oferece apoio à crianças e adolescentes em estado de vulnerabilidade, então escolhemos como a primeira ação do nosso grupo, ajudar esta organização”, confirmou Maria Fernanda Neves, participante do movimento Girl Up.

    O objetivo do grupo no momento é arrecadar produtos de limpeza e higiene e cestas básicas com materiais não perecíveis para as crianças e adolescentes deste abrigo.

    Os pontos de coleta já estão disponíveis em diversos pontos da cidade:

    ▪️ Condomínio residencial Quinta das Laranjeiras, 721, bairro flores - Zona Centro-sul

    ▪️ Rua Carlos Lee, 16, Bairro Novo Israel - Zona Norte.                                                                                                    ▪️ Condomínio vivendas da cidade,142, Bairro Cidade Nova, bloco D aptº 302 - Zona Norte

    ▪️ Jornal Em Tempo - Rua Doutor Câmara, 623, São Jorge - Zona Oeste

    ▪️Tv Norte Amazonas/Rádio Nativa FM - Rua Belém, 296, Nossa Senhora das Graças - Zona Centro-Sul

    ▪️ Shopping Uai São José, Av. Cosme Ferreira, 4605, São José - Zona Leste

    ▪️ Av. Professora Cacilda Pedrosa, 155, Residencial Vitali, bloco 3, apto 304 -

     Alvorada - Zona Centro-Oeste. 

    Os pontos de coleta estarão disponíveis a partir da quinta-feira (1º de abril) até o dia 10 de abril. Qualquer dúvida é só ligar para o número (92) 98193-2913 ou mandar uma mensagem na página do grupo no instagram: instagram.com/girlupmanaus/


    Absorvente íntimo já é item de cesta básica 

    Nas lutas do movimento feminista em todo o país, uma conquista de meninas associadas ao grup Girls Up está em foco: fazer com que os absorventes íntimos sejam incluídos nas cestas básicas.

    Em dois estados dos 27 entes federativos isso já se tornou uma realidade: no Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Isto, inclusive, faz com que o preço do produto diminua, pois, a escolha dos itens de cestas básicas incide no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Quando as meninas do Girls Up no Rio de Janeiro conseguiram essa conquista por meio de uma lei estadual, isso incendiou uma vontade nos grupos dos demais estados. Isso foi em 2020, em plena a pandemia, e em 2021 conseguimos também que no Distrito Federal este item necessário para as mulheres fosse incluído nas cestas básicas de lá”, conta a gerente regional do Girl Up Brasil no Sudeste, Letícia Bahia.

    Conquista

    A conquista é fruto dos dados coletados pelo movimento intitulado Relatório Livre para Menstruar, que aponta saneamento básico, acesso a produtos menstruais e informações como soluções possíveis para o problema. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 1 em cada 10 meninas se ausenta da escola durante a menstruação. 

     

    No Rio de Janeiro, meninas conseguiram fazer dos absorventes itens necessários de cesta básica
    No Rio de Janeiro, meninas conseguiram fazer dos absorventes itens necessários de cesta básica | Foto: Divulgação/Girls Up

    Leia mais

    Órfãos da Covid: o desafio de famílias que perderam mães para o vírus

    Pesquisa indica que mulheres reclamam do descaso em relação à dor

    Mulheres contrataram mais e demitiram menos em fevereiro


    Comentários