Fonte: OpenWeather

    Ações


    Cheia: operação da prefeitura vai beneficiar 4 mil famílias em Manaus

    Objetivo da ação municipal é minimizar as situações de emergência e calamidade pública provocada pela subida dos rios

     

    Defesa Civil irá monitorar as comunidades
    Defesa Civil irá monitorar as comunidades | Foto: Cesar Gomes / EM TEMPO

    MANAUS - A operação 'Cheia 2021' foi iniciada nesta segunda-feira (19), pela Prefeitura de Manaus e deve beneficiar quatro mil famílias que serão atendidas. O objetivo da ação municipal é minimizar as situações de emergência e calamidade pública provocada pela subida dos rios.

    O prefeito de Manaus, David Almeida destacou que ao percorrer o beco do Pescador, no bairro Mauazinho, na Zona Leste de Manaus, percebeu a emoção da população ao visualizar a atuação da gestão municipal.

      "A população espera muito de nós. A prefeitura tem que ir para a rua se juntar a população. Eu sonho com uma cidade melhor. Estamos programados para uma enchente de até 30 metros. São quase 3 mil metros de pontes para 19 áreas mapeadas em Manaus. Vamos nos doar para resolver os problemas que estão acumulados. Estamos atentos e trabalhando", destacou.  

    No beco do Pescador, no Mauazinho, pontes de madeira já foram construídas e equipes do Comitê Gestor de Pronta-Resposta para atuar nas situações de emergência já percorreram o local para cadastrar moradores. Profissionais da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) estão realizando a limpeza das margens do rio.

    "Nossa situação durante a cheia é muito difícil, inclusive com essas pontes. Ainda bem que eles realizaram os reparos pois havia risco de quedas. Por aqui moram idosos e crianças que inclusive já caíram na ponte. Já perdi geladeira, guarda-roupas, cômoda, cama, ao longo das últimas cheias", relatou Samara da Silva Gonçalves, moradora da localidade há mais dez anos.

     

    Ações da Prefeitura de Manaus
    Ações da Prefeitura de Manaus | Foto: Suyanne Lima

    O aposentado João Pereira de Almeida, 88 anos, que reside no beco do Pescador há 40 anos, relatou que no período da cheia, moradores da área passam por altos e baixos

    "Tem dias que estamos bem, em outros perdemos alguma coisa. Na minha casa o assoalho já está apodrecendo. Com a subida das águas tenho medo da casa arriar. Mas estamos por aqui levando a vida. Ainda bem que nesse momento estão tentando melhorar a estrutura daqui", disse.

    Conforme o estudo realizado pela Prefeitura de Manaus, na região urbana os bairros atingidos devem ser o Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa e Puraquequara.  

    Na região rural ribeirinha, a Defesa Civil irá monitorar as comunidades Nova Canaã do Aruau, São Francisco do Aruau, Lindo Amanhecer, São Sebastião do Cuieiras, São de Francisco do Chita, Bela Vista do Jaraqui, Nova Jerusalém do Minpidiau, São Sebastião do Tarumã-Mirim, Agrovilla, Cueiras do Tarumã-Açú, Nova Esperança do Apuau, Santa Isabel do Apuau, Nova Aliança do Apuau, União e Progresso, São Francisco do Tabocal, São Raimundo e o assentamento Nazaré.

    Veja pronunciamento 

    Leia mais 

    Manaus terá em 2021 a sétima cheia severa em dez anos, aponta pesquisa

    Operação Enchente 2021 chega ao município de Canutama

    Operação do Governo beneficia12 municípios afetados pela cheia



    Comentários