Fonte: OpenWeather

    Imunização


    Amazonas recebe nova remessa com vacinas AstraZeneca e Pfizer

    Vacinas Pfizer serão armazenadas no Hemoam e atenderão gestantes e puérperas

     

    Dados parciais do Programa Nacional de Imunização, da FVS-AM (PNI/FVS-AM), apontam que 900.305 doses foram aplicadas em todo o estado até esta segunda-feira (3)
    Dados parciais do Programa Nacional de Imunização, da FVS-AM (PNI/FVS-AM), apontam que 900.305 doses foram aplicadas em todo o estado até esta segunda-feira (3) | Foto: Divulgação/ Secom

    Amazonas - Acompanhado por técnicos da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) e agentes da Polícia Federal (PF), um novo lote de vacinas para vacinação contra a Covid-19 chegou ao Amazonas na tarde desta segunda-feira (3).  O carregamento foi desembarcado no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em voo comercial vindo de Guarulhos (SP) pela Latam Linhas Aéreas.

    Parte das doses com 89.250 imunizantes são do tipo AstraZeneca/Oxford, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), enquanto outra fração do carregamento é composta por 5.850 doses do tipo Pfizer/BioNTech, vacina produzida na Bélgica e que teve a primeira remessa distribuída pelo Ministério da Saúde por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI). 

    Escoltado pela PF, o carregamento das vacinas do tipo AstraZeneca foi levado para a FVS, onde foram contabilizadas e armazenadas. Posteriormente, as doses da Pfizer foram transportadas até o Centro de Processamento Celular (CPC) da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), local que oferece acondicionamento da vacina em freezer científico a temperaturas a -86ºC. 

    De acordo com a enfermeira do Programa Estadual de Imunização da FVS, Josi Dias, as vacinas do tipo AstraZeneca atenderão grupos prioritários, a serem definidos pela FVS em nota técnica. As vacinas do tipo Pfizer atenderão grupos de gestantes e puérperas da capital, conforme critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. 

    “A temperatura da célula-tronco é bastante negativa, então nós temos todos os fatores indispensáveis para esse armazenamento, tanto da célula-tronco como também das vacinas, que necessitam dessa temperatura negativa”, explicou o coordenador.

     


    Ela explica que o condicionamento no Hemoam dá maior tempo de utilização, garantindo a qualidade dos imunizantes. 

    “Devido a essa situação de condicionamento dessa vacina, com temperaturas negativas extremas, porque se ela ficar nessa temperatura a – 80ºC, - 90ºC, ela consegue permanecer até seis meses. Se ela ficar em temperatura mais baixa entre -15ºC e -25ºC, ela fica em torno de 15 dias. Então a gente precisa manter essa temperatura e a Semsa (Secretaria Municipal de Saúde) vai trabalhar com elas diretamente”, destacou Josi.


    Pfizer 

    Segundo a FVS, as vacinas Pfizer possuem um esquema vacinal de duas doses, com intervalo de 12 semanas (3 meses). Devido à campanha contra a influenza, o Ministério da Saúde orienta um intervalo de 14 dias entre a vacinação da Covid-19 e da influenza. O órgão reforça a importância de priorizar a vacina contra o novo coronavírus. 

    O coordenador do CPC do Hemoam, Theomario Theotonio, explica que o local tem capacidade para armazenar cerca de 100 mil doses de vacina. Ele destaca a parceria entre os órgãos do governo para garantir a conservação dos imunizantes. 

    “A temperatura da célula-tronco é bastante negativa, então nós temos todos os fatores indispensáveis para esse armazenamento, tanto da célula-tronco como também das vacinas, que necessitam dessa temperatura negativa”, explicou o coordenador. 

    Vacinação 

    Dados parciais do Programa Nacional de Imunização, da FVS-AM (PNI/FVS-AM), apontam que 900.305 doses foram aplicadas em todo o estado até esta segunda-feira (3), sendo 610.556 de primeira dose e 289.749 de segunda dose. A informação está disponível no site da FVS-AM por meio do link.


    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    EUA vão repassar 60 milhões de doses da vacina de Oxford

    Mortes de jovens por covid bate recorde inédito no Brasil 

    Conselhos de saúde alertam para escassez de vacinas nos próximos meses

    Comentários