Fonte: OpenWeather

    Mortes por Covid


    Cemitérios de Manaus não registram mortes por Covid neste domingo (13)

    Os cemitérios públicos da capital amazonense não registraram enterros por vítimas de Covid-19 e momento é diferente do vivenciado no mês de janeiro com mais de cem enterros por dia

     

    O município informa ainda que houve o registro de cinco óbitos em domicílio
    O município informa ainda que houve o registro de cinco óbitos em domicílio | Foto: Getty Images

    Manaus chegou a ser notícia internacional após realizar enterros noturnos e fazer a expansão de cemitérios por conta das mortes diárias por Covid-19. Foram mais de 3 mil enterros somente no mês de janeiro de 2021. O momento fúnebre mudou neste mês de junho. 

      Foi registrado neste domingo (13) que do total de sepultamentos nos cemitérios públicos da capital do Amazonas, nenhuma foi declarada como Covid-19 e nenhum caso suspeito. Apenas em espaços privados foram registrados.  

    A Prefeitura de Manaus informou por meio de boletim, que um total de 31 sepultamentos foi registrado nos cemitérios da capital do Amazonas. Desses, 25 foram nos espaços gerenciados pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), sem opção pelo serviço de cremação. Houve registro de três óbitos oriundos de outras cidades. Já nos cemitérios particulares, seis enterros foram realizados.

    O município informa ainda que houve o registro de cinco óbitos em domicílio e que, do total de sepultamentos nos cemitérios públicos neste dia, três foram atendidos pelo serviço SOS Funeral, coordenado pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc).

    Recorde de mortes 

     

    | Foto: Reprodução

    Manaus registrou uma média diária de mais de cem enterros de vítimas da covid-19, com um recorde de 213 em 15 de janeiro. Mais de 75% dos enterros são realizados no Nossa Senhora, segundo dados de 2019. O alto número escancarou a crise no sistema de saúde no Amazonas.

    Como nunca antes, para comportar a alta de casos e mortes por coronavírus, os horários dos cemitérios da cidade foram ampliados até às 18h. A extensão do trabalho dos coveiros foi definida em acordo com a Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) e o Sindicato das Empresas Funerárias.

      A ampliação foi um pedido do próprio setor fúnebre, que já atendia uma alta demanda na procura por caixões e serviços de enterros nos cemitérios de Manaus.  

    Grandes trincheiras foram abertas e corpos foram sepultados em formato de empilhamento de caixões, em valas comum. Tudo isso feito para atender a demanda. Na época, a Prefeitura de Manaus informou, por meio de nota, que, por conta da alta demanda de sepultamentos, "reorganizou o layout das covas". Para tentar reduzir o número de sepultamentos, a Prefeitura também estará arcando com os custos da cremação dos corpos, para famílias que concordarem.

    Um novo momento

    A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), por meio do Boletim Diário de Covid-19, traz o diagnóstico de 314 novos casos de Covid-19, totalizando 393.492 casos da doença no estado.

    Segundo o boletim, foram confirmados quatro óbitos por Covid-19, sendo quatro ocorridos no dia 12, sem óbito encerrado por critérios clínicos, de imagem, clínico-epidemiológico ou laboratorial, elevando para 13.140 o total de mortes.

    Leia mais:

    Veja como fica a vacinação em Manaus 

    Viradão encerra com mais de 135 mil vacinados em Manaus 

    Comentários