Fonte: OpenWeather

    Protesto


    Ciclistas pedem paz no trânsito após morte de colega em Manaus

    O pedalaço foi marcado por pedidos de ciclovias, respeito aos ciclistas e paz no trânsito

     

    O pedalaço foi acompanhado por agentes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana
    O pedalaço foi acompanhado por agentes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana | Foto: Bianca Ribeiro/EM TEMPO

    Manaus (AM) - Um protesto uniu vários ciclistas da capital na noite desta terça-feira (3), no trajeto entre a avenida Djalma Batista, na Zona Centro-Sul, e a avenida Brasil, no bairro Compensa, na Zona Oeste de Manaus. O objetivo da concentração dos ciclistas era homenagear o representante comercial e ciclista Saulo Alves Viana, de 33 anos, que morreu após ser atropelado por um ônibus do transporte coletivo urbano em Manaus, há exatas três semanas.

    Além da homenagem, o pedalaço, como foi chamado o ato, também foi marcado por pedidos de ciclovias, respeito aos ciclistas e paz no trânsito. Faixas e bandeiras brancas foram usadas na homenagem. 

    "Após o acidente, meu filho foi piorando até morrer. Não recebi nenhuma ajuda da empresa proprietária do ônibus responsável pelo atropelamento do Saulo. Espero que essa mobilização tenha algum resultado positivo para os ciclistas e pedestres. Que os motoristas se conscientizem mais, pois todos precisamos do mesmo espaço. As pessoas precisam ter cuidado no trânsito  e respeito ao próximo. Que a morte do meu filho não seja em vão e quantos menos pessoas forem vítimas dessas imprudências, mais eu serei confortada", declarou a mãe do representante comercial,  Socorro Alves.

     

    DivulgaçãoSaulo Viana realizava um percurso de bicicleta, quando foi atropelado pelo ônibus do transporte público no dia 13 de julho deste ano
    DivulgaçãoSaulo Viana realizava um percurso de bicicleta, quando foi atropelado pelo ônibus do transporte público no dia 13 de julho deste ano | Foto: Divulgação

    Ciclista há nove anos, Rejane Oliveira de Souza, de 37 anos, que integrou o movimento  na noite de ontem, reforçou o pedido para a atenção das autoridades referente às leis de trânsito.

    "Há vários históricos de acidentes entre veículos de grande porte e ciclistas. Isso já vem acontecendo a muito tempo. Precisamos de respeito, pois a bicicleta é um meio de transporte. Hoje foi um amigo nosso que se foi, mas poderia ser qualquer um de nós. Precisamos de mais ciclovias, não só nas faixas principais da cidade, mas também nos bairros", declarou.

    O pedalaço foi acompanhado por agentes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), que auxiliaram no tráfego no trânsito.

    O fim do cortejo aconteceu no local exato do acidente que vitimou Saulo, na avenida Brasil, Compensa, onde foi instalada uma "Ghost Bike", uma bicicleta branca colocada em locais de acidentes fatais com ciclistas, como memoriais em homenagem a quem perdeu a vida. 

    O caso

    Saulo Viana realizava um percurso de bicicleta, quando foi atropelado pelo ônibus do transporte público no dia 13 de julho deste ano. Ele deu entrada no Hospital João Lúcio, com uma fratura na bacia. Ele passou por diversas cirurgias e apresentou um quadro de meningite e pneumonia, além de outras complicações, tendo que fazer até hemodiálise. 18 dias após o acidente ele não resistiu.

    Veja a manifestação 

    Saída de “pedalada” em manifestação pela morte de ciclista que morreu após ser atropelado em Manaus | Autor: Portal Em Tempo
     


    Comentários