Fonte: OpenWeather

    Educação


    MEC aponta soluções para quadro negativo do ensino fundamental no AM

    O secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (SEB-MEC), Rossieli Soares considera a alfabetização um desafio para todo país

    Apoiar as redes municipais de ensino também é o foco do MEC em 2108 | Foto: divulgação

    Recentemente o Ministério da Educação divulgou o resultado da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), os índices nada animadores, mostraram que os níveis de alfabetização dos estudantes amazonenses em 2016 são praticamente os mesmos que em 2014.O desempenho dos estudantes do 3º ano do Ensino Fundamental matriculados nas redes públicas permaneceu praticamente estagnado na avaliação durante esse período.

    Segundo o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (SEB-MEC), Rossieli Soares, mais da metade das crianças em todo Brasil não são alfabetizadas até o final do terceiro ano do ensino fundamental.

    Leia também: Servidores federais protestam contra reforma trabalhista e pedem que sociedade ‘acorde’

    O secretário considera a alfabetização um desafio para todo país. Se tratando do Amazonas, a situação é ainda pior, Rossieli Soares revela que quase 70% dos alunos estão em nível considerado insuficiente no processo de aprendizagem.

    De acordo com dados divulgados pelo Mec, foram avaliados 67.030 estudantes no Amazonas sendo 18.063 da rede estadual e 48.967 da rede municipal, de 1.073 escolas, ficando 255 alunos estaduais e 818 municipais.

    Rossiele afirma que medidas para melhorar o quadro negativo do ensino fundamental no Amazonas já estão em andamento
    Rossiele afirma que medidas para melhorar o quadro negativo do ensino fundamental no Amazonas já estão em andamento | Foto: Janailton Falcão

    Possíveis Soluções

    O Programa Mais Alfabetização, é uma das soluções apontadas para melhorar a situação negativa em todo país. O sistema, incluirá ajudantes nas salas de aula que trabalharão em conjunto com os professores. Projeto terá início em 2018 e visa atender 4,6 milhões de alunos.

    Com relação ao Amazonas, medidas especiais já estão em andamento. Investimento em parceria com a Universidade Federal do Amazonas para ajudar a formar professores do estado e possíveis vagas de mestrado serão financiadas pelo Ministério da Educação.

    “Temos que olhar com muito carinho a situação e formação dos professores, ” afirma Rossieli.

    Maior apoio às redes municipais de ensino também é o foco do MEC em 2108, uma vez que grande parte das crianças são alfabetizadas pela rede municipal de ensino.

    Mais atenção voltada para língua portuguesa e matemática que são fundamentais nesta fase de aprendizagem, também é outra questão a ser trabalhada para garantir o melhor rendimento dos estudantes.

    Em 2108 teremos uma nova avaliação pelo ANA, é importante que o governo olhe sempre para a educação, ela não é responsável segurança, nem pela saúde, mas é certamente a base para toda soluções de problemas. Investimento na educação impacta nas outras áreas da sociedade ela precisa sempre estar no foco, ” ressaltou o secretário.

    Leia mais:

    Quiropraxia: alternativa para tratar dores nas costas e outros males

    II Simpósio Municipal de Educação Adaptada busca novos caminhos na área

    6 papéis marcantes da atriz Márcia Cabrita 

    Comentários