Fonte: OpenWeather

    Folia 2019


    Mangueira, Viradouro e Vila Isabel celebram os títulos

    A penúltima nota no quesito fantasia, um 9,9, já garantia à verde e rosa a pontuação à frente da Viradouro, segunda colocada

    O samba do enredo “História pra ninar gente grande” foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso da escola
    O samba do enredo “História pra ninar gente grande” foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso da escola | Foto: Agência Brasil

    A festa do 20º título de campeã da Mangueira começou antes mesmo de o locutor Jorge Perlingeiro concluir a apuração. A penúltima nota no quesito fantasia, um 9,9, já garantia à verde e rosa a pontuação à frente da Viradouro, segunda colocada.

    “É um samba histórico. Agora é ir para a quadra comemorar, junto com os outros mangueirenses”, disse Marquinho Art Samba, um dos intérpretes da Mangueira, na Praça da Apoteose.

    O samba do enredo “História pra ninar gente grande” foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso da escola. 

    “O samba fez diferença sim. Graças a Deus, Mangueira campeã. O samba funcionou na avenida. Foi um trabalho conjunto, do samba-enredo, da bateria, que há 16 anos não ganhava quatro notas 10, do carro de som, que trouxe as notas de harmonia”, comemorou Alemão do Cavaco, diretor musical da verde e rosa.

    Danilo Firmino, um dos compositores, sintetizou o sentimento que predomina entre os integrantes.

    "O carnaval que sempre foi uma expressão de luta, e falar o que todo mundo queria falar. E mostrar para este Brasil que eles também fazem parte desta história. Todo trabalhador. Toda mulher. Todo negro. Todo índio. Vocês são a história do Brasil. O samba não é nosso", disse Firmino. "O samba é de cada um. Ele cresceu por isso. Ele cresceu pela força da coletividade que ele tem."

    Viradouro

    Calil elogiou o trabalho de Paulo Barros, mas disse que ainda é muito cedo para saber se contará com o carnavalesco no carnaval de 2020
    Calil elogiou o trabalho de Paulo Barros, mas disse que ainda é muito cedo para saber se contará com o carnavalesco no carnaval de 2020 | Foto: Agência Brasil

    O presidente da Viradouro, Marcelinho Calil, destacou o retorno da escola de Niterói ao grupo de elite do carnaval carioca, segunda colocada no Grupo Especial, atrás apenas da Mangueira. “Sentimento de dever cumprido como escola e como o simbolismo da Viradouro de voltar a figurar entre as grandes escolas do carnaval do Rio”, disse Calil.

    Calil  lamentou as notas baixas nas categorias alegoria e samba-enredo. “Não tenho como falar sobre nota sem a justificativa. A gente fica um pouco limitado”, completou.

    Calil elogiou o trabalho de Paulo Barros, mas disse que ainda é muito cedo para saber se contará com o carnavalesco no carnaval de 2020.

    “Ficamos muito satisfeitos com o trabalho. Não só do Paulo, mas de todos os profissionais que estão na escola. No momento certo, a gente vai analisar isto, agora a gente só quer curtir.  Aproveitar”, disse.

    O intérprete da escola, Zé Paulo Serra, comemorou o vice-campeonato. “É um trabalho que vem desde 2017. Acho que este trabalho foi reconhecido hoje aqui. Vamos agora no sábado mostrar, nada contra a Mangueira, que a gente podia estar em primeiro. Agente está muito feliz e vivo”.

    Vila Isabel

    Desfile da Vila Isabel no Carnaval 2019 no Rio de Janeiro
    Desfile da Vila Isabel no Carnaval 2019 no Rio de Janeiro | Foto: Agência Brasil

    A rainha de Bateria da Vila Isabel, Sabrina Sato, também comemorou o terceiro lugar da escola da zona norte do Rio.“É o meu nono ano como rainha da Vila Isabel. A escola veio linda, emocionante. É claro que a gente imaginava o primeiro lugar, a gente batalhou muito para isto durante todo ano, mas a gente está feliz de voltar para as Campeãs [desfile], que é o lugar da Vila”, disse.

    Leia mais:

    Mangueira é a campeã do Carnaval 2019 no Rio de Janeiro

    Fora de Manaus, Carnaboi arrasta 30 mil torcedores em Parintins

    Forró do Netão terá edição 'tira ressaca' nesta quinta (7), em Manaus

    Comentários