Fonte: OpenWeather

    Educação à distância


    Escola do AM promove educação tecnológica à distância para alunos

    Tecnologia, Engenharia, Matemática e Robótica são algumas das disciplinas ensinadas à distância durante o período de quarentena

    As aulas continuam em andamento mesmo durante a pandemia no Amazonas
    As aulas continuam em andamento mesmo durante a pandemia no Amazonas | Foto: Divulgação

    Manaus – As Escolas SESI Amazonas transformaram a rotina de aulas presenciais para a nova didática virtual e à distância. Os alunos estão dando continuidade aos estudos por meio de diferentes ferramentas e plataformas que possibilitam interagir e desenvolver projetos com práticas online.

    A Escola SESI Abrahão Sabbá, no município de Itacoatiara, por exemplo, permite aos alunos o aprendizado sobre força elástica, simetria, resistência, além dos conceitos básicos de lógica e programação. Com aulas semanais, todas as séries do fundamental 1 e 2 aprendem com a metodologia “Steam”, que reúne conhecimentos nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática.

    “Nesse modelo metodológico, o estudante tem à disposição ferramentas que possibilitam a aprendizagem por meio de projetos, com resoluções de problemas proposto pelo professor. Foi necessário adaptar as ferramentas por conta do cenário atual, os estudantes estão utilizando materiais alternativos e de fácil acesso, como:  garrafas pet, barbante, palitos, ligas, papelão, canudo e outros”, explicou o professor de Educação Tecnológica da Escola SESI Itacoatiara, Genarde Macedo.

    Professores trabalham com novas metodologias
    Professores trabalham com novas metodologias | Foto: Divulgação

    Dessa forma, o processo de resolução de problemas torna-se até mais autêntico e ajuda a trabalhar importantes habilidades exigidas pela sociedade, tais como criatividade e autonomia. Os alunos do 6º e 7º ano da Escola SESI Itacoatiara, estão desenvolvendo o projeto “Mão Biônica” que, além do processo de construção, envolve o estudo de funcionamento de uma mão humana, trabalhando, em paralelo, os fenômenos matemáticos e físicos como força elástica e tensão de tração.

    Os alunos dão sequência em projetos tecnológicos
    Os alunos dão sequência em projetos tecnológicos | Foto: Divulgação

    Para o 9º ano, o estudo da lógica e programação está sendo feito em blocos por meio do aplicativo “Fix the Factory” da “Lego Mindstorms”. A plataforma desafia o pensamento lógico, inteligência espacial e habilidades de comando de robôs. 

     “Pretende-se, a partir dessa experiência, promover práticas que estimulem a resolução de problemas de maneira lógica (programação) e prática (montagem de protótipos)”, frisou o professor Genarde. 

    *Com informações da assessoria 

    Comentários