Fonte: OpenWeather

    Representação


    Educadoras manauaras são finalistas de prêmio a melhores educadores

    Vencedores serão anunciados no final deste mês, no programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo

    Professora de Língua Estrangeira, Luana Lima, da Escola Municipal Professor Waldir Garcia, apresentou canções em inglês, espanhol e francês crioulo aos alunos do 4º e 5º anos | Foto: Facebook Prêmio Educador Nota 10

    Manaus - Com projetos que atendem crianças da educação básica, duas professoras manauaras foram classificadas para a final de um grande prêmio para educadores. Luana Camila de Souza Lima e Lúcia Cristina Cortez de Barros Santos realizaram seus projetos em escolas públicas de Manaus e São Paulo e agora participam da última etapa do Prêmio Educador Nota 10, que está em sua 23ª edição. Elas concorrem com profissionais de outros 19 estados brasileiros.

    Com o projeto A música como instrumento inclusivo no ensino da língua inglesa, a professora de Língua Estrangeira, Luana Lima, da Escola Municipal Professor Waldir Garcia, apresentou canções em inglês, espanhol e francês crioulo aos alunos do 4º e 5º anos. A docente ainda promoveu rodas de conversa para que as crianças estrangeiras pudessem falar sobre suas famílias, cultura e língua. Em uma escola multicultural, montou um coral que se consagrou na rede pública de Manaus após seis meses de ensaios.

    Para legitimar a prática do canto de forma mais efetiva, a professora convidou um estudante de música da Universidade Estadual do Amazonas para contribuir. Ele esteve presente em todos os ensaios, que resultaram em apresentações surpreendentes.

    O outro projeto de destaque é de Lúcia Cortez, diretora da mesma escola. A inclusão é o princípio norteador das ações de gestão nesta unidade municipal de tempo integral, que recebe alunos haitianos, venezuelanos, com deficiência e em situação de risco. Com o objetivo de viabilizar sua iniciativa, denominada Acolher para todos envolver e aprender, Lúcia visitou escolas públicas inovadoras em São Paulo para entender os princípios da Educação Integral e mudar da prática pedagógica tradicional, que acentua desigualdades, para uma gestão democrática.

    Com isso, conseguiu desburocratizar relações, estabelecer vínculos, engajar e dialogar com todos os atores da comunidade escolar. Os resultados de avaliações internas e externas permitem revisar o processo de ensino, pois o foco central é a aprendizagem. As decisões são feitas em assembleias, onde os alunos atuam como protagonistas. Cada uma das 223 crianças escolhe um tutor, que a acompanha até o final do 5º ano.

    Outras iniciativas

    Entre os projetos selecionados, 10 são de Língua Portuguesa, 5 de Educação Física, 4 de História, 4 de Geografia e 4 focados no aprendizado de crianças bem pequenas. Artes, Ciências da Natureza, Matemática, Coordenação Pedagógica e Língua Estrangeira, tiveram 3 trabalhos cada, escolhidos. Completam a lista, 2 projetos de Diretores e outros 1 para crianças pequenas, além de 1 de cada uma das seguintes disciplinas: Física, Química, Filosofia e Biologia, junto com 1 trabalho focado em bebês.

    Por ciclo educacional, são 25 do Ensino Fundamental – somados anos iniciais e finais –, 14 do Ensino Médio e 6 da Educação Infantil. Há ainda 5 trabalhos de Gestão Escolar. A região do país com maior representatividade entre os finalistas é a Sudeste, seguida pela Nordeste, Sul, Norte e Centro-Oeste.

    Reconhecimento e premiação

    O reconhecimento e a valorização desses profissionais se dão por meio da divulgação na mídia, redes sociais e um certificado de participação a cada um dos 50 finalistas. Eles também aguardam com ansiedade a seleção dos 10 vencedores, que serão anunciados no dia 20 de julho no programa Encontro com Fátima Bernardes na Globo.

    Os 10 vencedores selecionados ganham um vale-presente no valor de R$ 15 mil. Já o Educador do Ano escolhido pela Academia de Jurados, e que será reconhecido ainda neste ano, recebe outro vale-presente, também no valor de R$ 15 mil. As escolas dos vencedores também recebem uma verba para celebração.

    O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. O Prêmio reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. Ao longo das 22 edições anteriores, foram premiados 281 educadores, entre professores e gestores escolares, que receberam aproximadamente R$ 2,85 milhões em prêmios no total.

    O Prêmio Educador Nota 10 tem o patrocínio da Fundação Lemann, SOMOS Educação e BDO e o apoio de Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef. Desde 2018, é associado ao Global Teacher Prize, prêmio internacional de educação, realizado pela Fundação Varkey. 

     A lista completa dos classificados pode ser encontrada no site da premiação.

    Sobre a Fundação Victor Civita

    A Fundação Victor Civita foi criada em 1985 como uma das primeiras iniciativas brasileiras no campo social. Sua missão é valorizar o trabalho de professores e gestores, disseminando as melhores práticas da Educação Básica para auxiliar os educadores brasileiros a enfrentar os desafios de seu tempo. Em 1998, criou o Prêmio Educador Nota 10, o maior e mais importante prêmio da Educação Básica brasileira. 

    Sobre a Fundação Roberto Marinho

    A Fundação Roberto Marinho inova, há 40 anos, em soluções de educação para não deixar ninguém para trás. Desenvolve projetos voltados para a escolaridade básica e para a solução de problemas educacionais que impactam nas avaliações nacionais, como distorção idade-série, evasão escolar e defasagem na aprendizagem. Atua em soluções de educação, com foco em correção de fluxo e projeto complementar, e na inclusão de jovens no mundo do trabalho. Seus projetos atuam de forma integrada a diversas outras ações relacionadas às 10 competências da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), visando contribuir para uma sociedade mais ética, inclusiva, sustentável e solidária. 

    *Com informações da Assessoria

    Comentários