Fonte: OpenWeather

    Educação


    Sinepe-AM reforça protocolos de saúde e traça estratégias

    Recomendação do sindicato é que as escolas continuem seguindo todas as medidas de proteção

    Outra indicação da presidente é que as secretarias das instituições busquem atender aos pais e responsáveis com horário agendado | Foto: Divulgação

    Manaus - Em razão das recentes mudanças das restrições de funcionamento determinadas pelo Governo do Amazonas, o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM) realizou na manhã desta segunda-feira (28) uma assembleia virtual com instituições associadas e não associadas, com o objetivo de reforçar os protocolos de prevenção da Covid-19 e ainda traçar estratégias para que a educação seja considerada serviço essencial.

    Segundo a presidente do Sinepe-AM, Elaine Saldanha, a recomendação do sindicato é que as escolas continuem seguindo todas as medidas de proteção que promovem a saúde e bem estar dos alunos, pais e colaboradores, entre elas, o ensino híbrido (que combina aprendizagem no ambiente on-line e presencial na sala de aula).

    Outra indicação da presidente é que as secretarias das instituições busquem atender aos pais e responsáveis com horário agendado,

     “Desde o início da pandemia as instituições de ensino não pararam de funcionar, mesmo não havendo aulas presenciais, todo o corpo pedagógico precisou se organizar, fazer mudanças no planejamento e adaptação do conteúdo para que nenhum aluno fosse prejudicado”, explica Elaine.

    A vice-presidente do Sinepe-AM, Laura Cristina Vital, destaca que a educação é um serviço essencial, principalmente no momento em que as crianças ficam sob estresse pela ausência dos colegas e que precisam de mais atenção dos pais. “Mantê-las afastadas da escola pode prejudicar o desenvolvimento delas”, afirma. A interação com os colegas e professores, mesmo que através de encontros virtuais, é uma forma de apoio, diz a gestora.

    “O ambiente escolar ajuda a promover a saúde física e mental das crianças e adolescentes, além disso, com elas na sala de aula, permite aos pais e responsáveis possam trabalhar”, avalia Laura.

    O que diz a lei:

    Conforme o decreto n° 43.236, de 28 de dezembro de 2020, os estabelecimentos de ensino privado continuarão funcionando de segunda a sexta, da mesma maneira que o decreto n° 42.461, de 3 de julho de 2020, já determinava, porém agora passará a ser de 8h às 16h.

    Além de operar levando em conta todos os protocolos determinados pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM), como manter as pessoas que fazem parte do grupo de risco trabalhando ou estudando de forma remota, as escolas seguirão a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção  e  a disponibilização de álcool em gel, mantendo ainda as salas de aula com 50% da capacidade, distanciamento social, entre outras ações que evitam a proliferação do Covid-19.

    *Com informações da assessoria

    Comentários