Fonte: OpenWeather

    Parceria


    Ufam firma parceria com Associação Brasil Soka

    União visa desenvolver iniciativas desde a esfera acadêmica a projetos ambientais que serão desenvolvidos em Humaitá

    O município de Humaitá foi escolhido para ser o primeiro a receber as ações do convênio tendo o Instituto de Educação, Agricultura e Meio Ambiente e o curso de engenharia ambiental como reduto de atuação
    O município de Humaitá foi escolhido para ser o primeiro a receber as ações do convênio tendo o Instituto de Educação, Agricultura e Meio Ambiente e o curso de engenharia ambiental como reduto de atuação | Foto: Divulgação

    Em reunião com o reitor Sylvio Puga, os representantes da Associação Brasil Soka Gakkai Internacional (BSGI) apresentaram planos para consolidar a parceria entre as instituições. A ideia é que o campus de Humaitá concentre as ações voltadas para o desenvolvimento sustentável. Encontro ocorreu no início desta semana, no gabinete da Reitoria.

    Iniciada ainda durante a gestão da reitora Márcia Perales, a parceria entre a representante brasileira da organização não governamental japonesa Soka Gakkai Internacional (SGI) visa desenvolver iniciativas que vão desde a esfera acadêmica com intercâmbio entre universidades a projetos de cunho ambiental, como o que será desenvolvido em Humaitá.

    No encontro, os gestores discutiram as propostas a serem desenvolvidas conjuntamente. De acordo com o presidente da BSGI, Miguel Shiratori, o objetivo principal das ações da associação é a preservação ambiental a partir da educação.

    “Nosso trabalho não se limita a fazer projetos, mas dialogarmos e criarmos essa rede de solidariedade de pessoas que possam contribuir para esse desenvolvimento. Temos várias parcerias com instituições e empresas com foco em um trabalho sustentável aqui na Amazônia”, disse. “O nosso objetivo é a conscientização. É mostrar que toda essa natureza pode ser preservada, mantida, para as gerações futuras, se cada cidadão se conscientizar desse valor”, expôs.

    O município de Humaitá foi escolhido para ser o primeiro a receber as ações do convênio tendo o Instituto de Educação, Agricultura e Meio Ambiente e o curso de engenharia ambiental como reduto de atuação.

    “Todo esse patrimônio genético, florestal tem de estar a serviço da sociedade. Não numa condição de subserviência, mas de elevação das próprias consciências sobre o que é o meio ambiente, sobre como utilizá-lo de forma sustentável. Agora é a hora de buscarmos fazer com que ações efetivas sejam firmadas no sentido de que a gente possa dar visibilidade a essa parceria”, declarou o reitor Sylvio Puga. “Em Humaitá, temos o curso de engenharia ambiental, então, temos atores que são formados localmente para dar essa resposta à sociedade”, complementou.

    .“Ficamos muito felizes com a parceria da Universidade e vamos nos esforçar ao máximo para que, junto com a Universidade Federal do Amazonas, possamos fazer um trabalho que se torne referencia global”, respondeu o presidente da BSGI, Miguel Shiratori.

    Segundo o pró-reitor de Extensão, professor Ricardo Bessa, uma das iniciativas a serem implantadas em Humaitá é a criação de um banco de sementes para arborizar o município. “A ideia é transformar Humaitá na capital ambiental da Amazônia. É a nossa proposta”, exemplificou.

    Leia mais:

    Prova para oficial da Marinha acontece neste domingo (10), em Manaus

    Pesquisa aponta benefícios do uso de tecnologias nas escolas

    Colégios da PM aprovam quase 300 alunos em universidades do Amazonas

    Comentários