Fonte: OpenWeather

    Pesquisa


    Alunos do AM transformam escama de peixe em fibras para diversas áreas

    Projeto da Rede Pública de Ensino concorre ao prêmio “Respostas para o Amanhã”, promovido pela Samsung

    Projeto produz curativos, filtros e papéis, tudo de baixo custo a partir de escamas de peixes
    Projeto produz curativos, filtros e papéis, tudo de baixo custo a partir de escamas de peixes | Foto: Divulgação

    Manaus - Alunos do 1º ano do Ensino Médio, da Escola Estadual Nossa Senhora de Nazaré, localizada em Manacapuru, distante 99 quilômetros de Manaus, são finalistas do Prêmio “Respostas para o Amanhã”, promovido pela Samsung. A equipe composta por 15 alunos desenvolveu o projeto que transforma

    escamas de peixe em fibras algodonosas com aplicabilidades nas áreas de saúde e industria como na produção de curativos, filtros e papéis, tudo de baixo custo.

    O professor orientador da turma, Galileu da Silva Pires desenvolveu o projeto junto aos alunos com a parceria de outros dois docentes, Hermison Brandão da Costa e Rosa Maria Vasques de Lima. Galileu, que leciona as disciplinas de biologia e física, explica que o projeto surgiu ao observarem o grande descarte de escamas de peixe na região, nas ruas e igarapés, poluindo a cidade. 

    Primeiro, o grupo utilizou as escamas de peixes que seriam descartadas para fabricar uma espécie de papel exótico, que servisse de base para numerosos produtos. A matéria-prima foi arrecadada com cooperativas de famílias de pobres. 

    A partir deste papel, os alunos conseguiram produzir uma fibra similar a um algodão, com aplicabilidade para três funções testadas. A primeira foi como bandagens curativas para pessoas diabéticas. Pessoas com esta doença têm dificuldade com cicatrização. "Uma das propriedades da fibra é o colágeno, que serve de base para o desenvolvimento do tecido epitelial (pele)", explica Galileu. Como esta propriedade é inerente do corpo humano, a pele  absorve o colágeno, facilitando a cicatrização.

    Mesmo com dificuldades, alunos desenvolvem pesquisa em Manacapuru.
    Mesmo com dificuldades, alunos desenvolvem pesquisa em Manacapuru. | Foto: Divulgação

    Outra aplicabilidade encontrada para a fibra foi como filtro de cigarro. No mundo, são cerca de 12,3 bilhões de bitucas descartadas diariamente (nome dado ao cigarro quando, depois de consumido pela chama, já se encontra próximo do filtro), o que polui mais o oceano do que as sacolas e canudos de plástico, de acordo com relatório da NBC News. Esta espécie de lixo sintético leva de cinco a sete anos para se decompor. 

    Como as escamas são uma espécie de filtro de metais pesados para os peixes, sua aplicabilidade no cigarro também foi testada. Os alunos analisaram 20 cigarros comuns e 20 feitos com a fibra de escamas, o resultado foi que houve sim uma absorção de substância químicas. Outro benefício é que este material é orgânico e leva de dois a três meses para se decompor na natureza. 

    Os alunos amazonenses também desenvolveram copos e canudos biodegradáveis feitos com a fibra de escamas e goma de mandioca. 

    "Os alunos estão vivendo um sonho que acharam que nunca iriam viver", conta o professor sobre estarem na semifinal do Prêmio “Respostas para o Amanhã”. O bom resultado serviu de exemplo para os outros alunos da escola, que também passaram a se interessar por desenvolver projetos e grupos de estudos. 

    Galileu relata que foram muitas dificuldades enfrentadas, como falta de energia e internet na região, mas que apesar disto, a alegria dos alunos tem sido contagiante. 

    Sobre o Prêmio

    Isabel Costa, gerente de Cidadania Corporativa da Samsung Brasil, explica que o prêmio tem enfoque projetos com abordagem STEM, que vem das iniciais em inglês de ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

    Podem se inscrever no Prêmio “Respostas para o Amanhã” alunos do Ensino Médio de escolas públicas de todo o país. Só em 2019 foram 919 projetos inscritos com mais de 600 escolas participantes e aproximadamente 7 mil estudantes envolvidos. Da região Norte foram oito projetos inscritos. 

    Projeto da Samsung já impactou mais de 153 mil estudantes no mundo inteiro.
    Projeto da Samsung já impactou mais de 153 mil estudantes no mundo inteiro. | Foto: Divulgação

    Os alunos formam grupos de 5 a 15 estudantes orientados por um professor, em que eles são estimulados a desenvolver uma investigação científica para resolver um problema real.

    A próxima etapa será em 30 de setembro, quando os três vencedores nacionais serão anunciados e a equipe melhor classificada será convidada a apresentar o projeto na etapa regional, em São Paulo, junto com os vencedores dos demais países da América Latina. No período de 23 a 29 de setembro, ocorrerá a votação pelo Júri Popular no site do Prêmio, quando serão escolhidos três dentre os dez projetos finalistas para premiação nessa categoria.

    O “Respostas para o Amanhã” reconhece, desde 2014, soluções criativas relevantes para uma sociedade mais sustentável. Até agora o Prêmio contabiliza mais de 5,7 mil inscrições, 18 mil projetos e mais de 4 mil escolas participantes, com 10,2 mil professores e 153 mil estudantes.

    "O principal objetivo da Samsung com este prêmio é incentivar a ciência e contribuir com a formação cidadã mais consciente. E que os jovens sejam capazes de interpretar as transformações do mundo e lidar com estas situações, que são um processo de aprendizagem. Isso é uma forma de estímulo para que eles possam se desenvolver cada vez mais", diz Isabel.

    Premiação

    Cada uma das escolas dos projetos finalistas será contemplada com uma TV Samsung 55” e um notebook da marca.

    O primeiro lugar ganhará um Smartphone Samsung para cada um dos alunos da equipe vencedora. Cinco estudantes da equipe e o professor orientador representarão o projeto vencedor na etapa América Latina, em São Paulo.

    O  prêmio para o segundo lugar é um Notebook Samsung para cada um dos alunos da equipe vencedora. E o terceiro lugar tem como prêmio um Tablet Samsung para cada um dos alunos da equipe vencedora.

    Um troféu “Vencedor pelo Júri Popular” para cada um dos três projetos vencedores, indicados por votação popular.

    Confira os dez projetos semifinalistas da 6ª edição do Prêmio “Respostas para o Amanhã”:

    EEM Ronaldo Caminha Barbosa

    AGRI+: Combatendo a escassez de água e melhorando a agricultura com polímeros sustentáveis

    Cascavel / CE

    IFPA – Campus Belém

    Construção de banco de filtração de água de rio em 3 estágios fabricado em cerâmica extrativada e carvão ativado oriundo de caroço de açaí

    Belém / PA

    IEE Guilherme Clemente Koehler

    Fabricação de pavimentos intertravados utilizando resíduos da reciclagem de postes de concreto em substituição parcial do agregado miúdo (areia)

    Ijuí / RS

    Colégio Estadual Dom Veloso

    Engenharia sustentável: uso de resíduos na fabricação de tijolos ecológicos

    Itumbiara / GO

    Escola Estadual Profª Maria das Dores Brasil

    Biolarvicida: Senna Alata L. no combate as larvas dos mosquitos Aedes aegypti, Culex quinquefasciatus

    Boa Vista / RR

    EE Angelo Scarabucci

    Proteção dos pés para a cabeça: reutilização de resíduos produzidos na indústria calçadista na produção de um capacete sustentável para ciclistas

    Franca / SP

    EEMTI Marconi Coelho Reis

    Desenvolvimento de biofilme a partir da Psidium guajava para aplicações diversas

    Cascavel / CE

    Escola Estadual Nossa Senhora de Nazaré

    Transformação das escamas de peixe em fibras algodonosas com aplicabilidades nas áreas da saúde e industrial, com sustentabilidade.

    Manacapuru / AM

    IFPI – Campus Teresina Central

    Ben Hero: incluindo e reabilitando de forma lúdica!

    Teresina / PI

    CEDUP Abílio Paulo

    Eletrocardiograma de baixo custo baseado na plataforma microcontrolada arduíno

    Criciúma / SC

    Comentários