Fonte: OpenWeather

    Polo Digital


    Manaus pode ser uma ‘cidade inteligente' até 2038?

    Feira do Polo Digital de Manaus reuniu atores do ecossistema de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na região para discutir conceitos e soluções para a construção de uma cidade inteligente

    Feira em Manaus discutiu como construir uma cidade inteligente | Foto: Leonardo Mota

    Manaus - Uma cidade sustentável, que funciona de maneira mais ágil e conectada com o que há de mais moderno, pode não estar tão longe da realidade de Manaus. Em sua 2ª edição, a Feira do Polo Digital de Manaus reuniu os principais agentes de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) em conceitos e soluções para discutir como construir uma cidade inteligente. O evento ocorreu de 15 a 17 de outubro, no Studio 5 Centro de Convenções, no bairro Japiim, Zona Sul da capital amazonense.

    "Cidade inteligente é basicamente colocar a tecnologia digital à disposição das pessoas, das cidades e do cidadão para resolver os seus problemas. Isso vai fazer com que Manaus seja uma cidade melhor e certamente seja incluída entre as melhores cidades do país até 2038", disse otimista o vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese), Romero Reis.

    A diretora administrativa do Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia, Vânia Capela, explica que uma cidade inteligente é uma cidade que tem várias soluções que tornam a vida das pessoas mais fácil, mais rápida, menos burocrática, que traz mais saúde e mais qualidade de vida.  Ela ressalta que não é somente uma questão de tecnologia, tem a ver urbanismo, mobilidade, conectividade, atendimento médico, atendimento educacional e muito mais. 

    Vânia Capela, diretora administrativa do Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia
    Vânia Capela, diretora administrativa do Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia | Foto: LEONARDO MOTA

    "Nos que somos dessa área de tecnologia entendemos que o primeiro passo da cidade inteligente é  digitalizá-la, ou seja, tirar toda a burocracia e fazer com que todos os processos, principalmente os processos governamentais, sejam mais ágeis", conta. "Por isso, uma das intenções da Feira este ano é trazer motivação para os setores públicos, a fim de que eles entendam esse conceito e façam uma cidade melhor para população manauara", reforça. 

    "O motivo de acontecer essa feira é ajudar a consolidar o ecossistema digital aqui. Foram mais de 17 milhões de negócios gerados e a gente acredita que Manaus está no caminho certo para consolidar seu Polo Digital", disse Romero Reis.

    Para o vice-presidente, a união das empresas com viés tecnológico neste evento serve para mostrar que Manaus tem outras matrizes econômicas que não são só o Polo Industrial. "Uma cidade como Manaus, com mais de 2,2 milhões de habitantes precisa ter geração de empregos. Nada melhor do que um Polo Digital para gerar emprego de qualidade com piso salarial seis ou sete vezes maior que o Polo Industrial de Manaus", disse Romero. 

    Romero Reis e Luís Braga, da equipe de organização do evento
    Romero Reis e Luís Braga, da equipe de organização do evento | Foto: LEONARDO MOTA

    Associação Manaus Digital 

    No último dia da Feira, quinta-feira (17), também ocorreu o lançamento da Associação Manaus Digita, cujo objetivo é organizar e criar uma liderança corporativa de quem realmente opera no mundo digital de Manaus. 

    Romero explica que podem participar da Associação empresas que praticam economia digital, startups, institutos de ciência e tecnologia, profissionais liberais e outros atores ligados ao ecossistema digital de inovação, empreendedorismo e tecnologia da região.  

    Foram mais de 20 mil visitantes
    Foram mais de 20 mil visitantes | Foto: LEONARDO MOTA

    A finalidade da Associação do Polo Digital de Manaus é a de possuir uma entidade jurídica que possa falar em nome dos institutos e do Polo Digital de Manaus, com o objetivo de alavancar esse ecossistema de forma organizada para que se possa evoluir, aumentando o volume de negócios e a visibilidade dos projetos e outros trabalhos dos associados.

    Além disso, essa associação também atuará no auxílio dos seus membros, com a intenção de amparar a melhora das competências do meio digital regional para que o Polo Digital possa avançar como uma matriz econômica para a cidade, como também, no futuro, para todo o Amazonas.

    A Feira

    A  2ª edição da Feira do Polo Digital de Manaus recebeu mais de 20 mil visitantes. No ano passado, o evento já havia sido um sucesso de público com 12 mil pessoas. Estiveram no local 48 startups, mais de 96 stands e 115 palestrantes ao todo. Entre eles Toomas Ilve, ex-presidente da Estônia, que falou sobre como transformou a Estônia em um país totalmente digital. 

    Estudantes e profissionais da hora participaram do evento
    Estudantes e profissionais da hora participaram do evento | Foto: LEONARDO MOTA

    Participaram também Institutos Públicos e Privados de Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs), Empresas de TI, Universidades, Incubadoras, Aceleradoras, Instituições, Agências e Associações de apoio ao Ecossistema de Inovação Digital de Manaus. 

    Além disso, o público pode se divertir com arenas de negócios e palestras com temas relacionados à Indústria 4.0, tecnologias emergentes e empreendedorismo. Também teve exposição de diretrizes do Governo Federal, Estadual e Municipal para transformar Manaus em exemplo de cidade digital e inteligente.

    Comentários