Fonte: OpenWeather

    Educação


    Espaço itinerante de conhecimento técnico é inaugurado

    Objetivo dos laboratórios é atrair a atenção dos alunos para ingressar nos cursos de engenharia da UEA

    A Academia STEM tem a missão de capacitar e formar profissionais | Foto: Divulgação

    MANAUS - Com a proposta de difundir o conhecimento em robótica, linguagem de programação, movimento maker (que estimula qualquer pessoa a construir, consertar e fabricar diversos tipos de projetos, também chamado de "Faça Você Mesmo" no Brasil), além dos diversos segmentos das engenharias entre os alunos do Ensino Médio da rede pública do Amazonas, chegaram à Universidade do Estado do Amazonas (UEA) dois novos laboratórios móveis da Academia STEM - ambientes de estudos e criações instalados em carretas, em projeto realizado em parceria com a Samsung.

    A Academia STEM tem a missão de capacitar e formar profissionais, oferecendo uma estrutura de ações, atividades, iniciativas e programas voltados aos cursos de graduação STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em inglês), com a adoção de uma metodologia de aprendizagem que potencialize a melhor disseminação de conhecimento compatível às demandas existentes nas empresas que compõem o polo industrial local.

    Ações para promover a atratividade dos estudantes do Ensino Médio fazem parte de um dos pilares do projeto Academia STEM. Por meio de cursos em tecnologias digitais, Indústria 4.0, robótica e programação por blocos, busca-se desmistificar as engenharias como áreas difíceis e inalcançáveis, sobretudo para os estudantes de nível médio público.

    "

    Neste projeto, também estão previstas ações em prol do aumento da atratividade dos cursos STEM junto aos alunos e melhoria da qualificação dos profissionais do mercado de trabalho e empreendedores "

    Jucimar Junior, coordenador do projeto

     

    Quando as atividades forem retomadas nas escolas de Ensino Médio da rede pública, os dois laboratórios itinerantes, montados dentro de carretas com capacidade máxima de 40 alunos, irão até as instituições, levando cursos e materiais com o que há de mais moderno nas tecnologias (automação, impressão 3D, corte a laser, notebooks, tablets, celulares, componentes de robótica e microeletrônica, dentre outros).

    "Os laboratórios itinerantes são uma importante ação focada no nosso objetivo de aumentar o interesse dos alunos em carreiras nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, para causar um impacto positivo no mercado de tecnologia da região amazônica. Com esse maior engajamento dos alunos, acreditamos que a formação acadêmica e profissional da força de trabalho local será aprimorada, seguindo o nosso propósito de estimular as pessoas a atingirem o seu pleno potencial para que a tecnologia promova soluções para a sociedade", declarou Eduardo Conejo, Gerente Sênior de Inovação na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Samsung.

    Nessa fase inicial do projeto, as carretas estarão na UEA e serão utilizadas pelos bolsistas do projeto (estudantes de engenharia que irão trabalhar ministrando os cursos futuramente nas escolas públicas de nível médio) respeitando todas as orientações de prevenção e distanciamento social preconizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

    *Com informações da assessoria

    Leia mais

    Quer fazer pós-graduação na escola de negócios da UEA?

    UEA fica em 2º lugar na competição nacional de Ciência de Dados

    Mais de 400 escolas reabrem as portas em Manaus



    Comentários